quinta-feira, 5 de junho de 2008

QUEBRANDO O PRECONCEITO E A DISCRIMINAÇÃO

TEXTO: Tg 2:1-9

INTRODUÇÃO: Certa vez, Elvis Presley ia fazer uma apresentação em Indianápolis, Indiana, USA. Um dos seguranças reparou que um homem vestido com uma jaqueta impermeável velha entrava no recinto. Pensando ser um mendigo, o segurança se preparava para retirá-lo do prédio, quando alguém o deteve e disse: “esse homem é o coronel Parker, o empresário do Elvis. O segurança ficou chocado. Tinha julgado mal o homem, simplesmente por causa da aparência.

Uma vez em Cianorte, por ocasião do Encontro que lá se realizava todo ano com participação entre de 10 a 15 mil pessoas, antes de começar a reunião da noite, um pastor colega meu e eu vimos um homem de paletó xadrez, camisa não combinava com gravata e nem com paletó, a calça era de outra cor que não tinha nada a ver, conforme nossos critérios. Eu disse àquele pastor: “quem será esse homem, será o pregador?”. Ao que me respondeu: “Não, quem vai pregar hoje é o pastor J.C.” (omitido os nomes por questões éticas). O culto iniciou com uma grande manifestação de júbilo e quando apresentaram o pregador, para surpresa nossa era o próprio. O pastor chegou chorar e pedir perdão pelo seu juízo, pois quando o homem começou a pregar caiu um fogo tremendo! E que sabedoria para falar!

Muito cuidado com seu julgamento. Muitos já tiveram que “morder a língua”.

TOME UMA DECISÃO: pare de ser preconceituoso!

Se quisermos ser líderes eficazes precisamos dar um basta na questão do preconceito.

O que é preconceito? Conceito ou opinião formados antecipadamente, sem maior ponderação ou conhecimento dos fatos; idéia preconcebida; Julgamento ou opinião formada sem se levar em conta o fato que os conteste;

Um sonho: "Eu tenho um sonho, que meus quatro filhos pequenos viverão um dia em uma nação onde eles não serão julgados pela cor de sua pele, mas pelo conteúdo de seu caráter" (Martin Luther King, Jr).

Sua primeira impressão é sempre limitada. Não confie em sua intuição. Esse negócio de que “não fui com a cara desse sujeito” pode ser enganoso e causar muito prejuízo. Estive numa igreja onde uma pessoa me disse: “depois de um ano e meio aprendi a gostar do pastor” (o pastor que é uma pessoa instruída e que já havia prestado excelentes serviços em outra igreja, suportou por esse período o risco da crítica, fofocas e infidelidade por parte dessa pessoa). E isso, com certeza, deve ter custado algum atraso no ministério dele.

A vida sempre nos prega lições às quais quem aprender viverá sempre melhor e irá mais longe, e sendo assim: "Além de aprender a ver, existe outra arte a ser aprendida - não ver o que não existe".

O ESPÍRITO DE DEUS QUEBRA PRECONCEITOS: permita que Ele opere em ti

Pedro, como um bom judeu, era cumpridor da Lei, mas isso também refletia no campo social e espiritual, pois não aceitava que a bênção de Deus poderia ser extensiva aos gentios. A Bíblia afirma que certo dia, quando Pedro estava com fome e enquanto aguardava a preparação da refeição, veio a ele uma visão: “E, tendo fome, quis comer; e, enquanto lhe preparavam, sobreveio-lhe um arrebatamento de sentidos, e viu o céu aberto e que descia um vaso, como se fosse um grande lençol atado pelas quatro pontas, vindo para a terra, no qual havia de todos os animais quadrúpedes, répteis da terra e aves do céu. E foi-lhe dirigida uma voz: Levanta-te, Pedro! Mata e come” (Atos 10:10-13 RC). Ao que Pedro respondeu: “Mas Pedro disse: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda” (Atos 10:14 RC). O Senhor voltou a insistir: “Segunda vez, a voz lhe falou: Ao que Deus purificou não consideres comum. Sucedeu isto por três vezes, e, logo, aquele objeto foi recolhido ao céu” (Atos 10:15-16 RA).

Pedro estava pensativo a respeito da visão: “Enquanto meditava Pedro acerca da visão, disse-lhe o Espírito: Estão aí dois homens que te procuram; levanta-te, pois, desce e vai com eles, nada duvidando; porque eu os enviei. E, descendo Pedro para junto dos homens, disse: Aqui me tendes; sou eu a quem buscais? A que viestes?” (Atos 10:19-21 RA).

Eles disseram que alguém estava interessado na bênção de Deus: “Cornélio, o centurião, varão justo e temente a Deus e que tem bom testemunho de toda a nação dos judeus, foi avisado por um santo anjo para que te chamasse a sua casa e ouvisse as tuas palavras” (Atos 10:22 RC)

Pedro hospedou aqueles homens gentios e no dia seguinte foi cumprir a missão entre eles: “Então, chamando-os para dentro, os recebeu em casa. No dia seguinte, foi Pedro com eles, e foram com ele alguns irmãos de Jope” (Atos 10:23 RC).

O orgulho nacionalista e preconceituoso quanto às outras raças foi quebrado: “E disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um varão judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem chame comum ou imundo. Pelo que, sendo chamado, vim sem contradizer. Pergunto, pois: por que razão mandastes chamar-me?” (Atos 10:28-29 RC)

O que eles queriam era que alguém, com autoridade, lhes ministrasse uma palavra da parte de Deus. E ninguém melhor do que Pedro, que o próprio Deus indicou enquanto eles oravam.

Eles puderam receber a bênção e o preconceito foi quebrado: “Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que o teme e faz o que é justo lhe é aceitável” (Atos 10:34-35 RA).

CONCLUSÃO: Vencendo a discriminação a bênção será multiplicada e alcançará pessoas que, muitas vezes, tem um grande potencial que não conseguimos ver nos primeiros contatos e nem na aparência. Esse negócio de que a primeira impressão é a que fica não pode ser levada em conta diante do Reino de Deus. “Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração” (1 Samuel 16:7 RA).

Reflita: "O tempo investido em melhorar a nós mesmos reduz o tempo desperdiçado em desaprovar os outros"
Postar um comentário