sexta-feira, 30 de julho de 2010

Não Temas

Como participantes de um Reino, onde o preço pago pelo nosso resgate foi o puro e inocente Sangue de Jesus, não deveríamos temer diante das ameças impostas pelo diabo. Jesus já o venceu quando voluntariamente se entregou por nós. A promessa de Deus para todos aqueles que são integrantes da Igreja fundada e estabelecida por Jesus, é que Ele esmagará Satanás debaixo de nossos pés. Uma outra promessa gloriosa que nos motiva a vivermos de cabeça erguida diante de nossos adversários é que as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja.
Sendo assim, viva vitoriosamente, sabendo que conosco está o Senhor dos Exércitos.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Fé é Atitude - Arrisque-se

A fé é a visão numa dimensão superior. O autor da carta aos Hebreus no capítulo onze, verso primeiro declarou que ela "é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova 'ou convicção' das coisas que não se vêem". Pela fé, homens e mulheres fizeram história em nome de Deus. Abrão, foi um deles, pois ao ser chamado por Deus, deixou a terra onde habitava, Ur dos caldeus, para arriscar-se rumo ao desconhecido. Noé, do mesmo modo, pela fé, teve a ousadia de fazer a arca, pois tinha por certo que o dilúvio anunciado pelo Senhor haveria de acontecer - e aconteceu. Pela fé, Jó, que é conhecido como o homem paciente, não perdeu suas qualidades diante das circunstâncias desagradáveis. Pela fé, o apóstolo Paulo, grande pregoeiro do Evangelho, passou muito de sua vida na prisão, onde aproveitou para escrever a maior parte do Novo Testamento. Pela fé, John Huss, não temeu a fogueira, pois sabia que havia uma terra melhor onde por herança receberia de Deus.
A fé viva em Deus é o melhor antídoto contra dissabores e desafios que se nos apresentam. Não importam as circunstâncias, olhe para o Senhor e se dobre diante dele, pois Ele sabe o fim desde o princípio. Façamos um cãntico de vitória como Habacuque: "ainda que a figueira não floresça, ainda que não haja fruto na vide, ainda que o produto da oliveira minta, ainda que no curral não haja bois, etc, eu, confiarei no Senhor e exultarei no Deus da minha salvação".
Fé viva nunca foi um credo teórico, mas uma prática de vida. Atitude é tudo o que precisa ter aquele que crê. Não seja incrédulo, mas crente!
Viva pela fé e jamais recue, pois Deus não tem prazer em covardes, mas em guerreiros valentes!

terça-feira, 27 de julho de 2010

B.J. Thomas - Just As I Am

Davi e Sua Forma de Resolver Problemas | Mensagens | Chamada


Davi era uma pessoa como eu e você, com traços de caráter positivos e negativos. Ele sabia o que era simpatia e antipatia, era uma pessoa com pontos fortes e outros menos fortes. Mas, apesar de seus erros e fraquezas, Davi era uma pessoa que buscava a Deus de todo o coração. Ele tinha consciência profunda de sua pecaminosidade. E justamente por isso ele vivia na dependência do perdão de Deus. Além disso, Davi era um homem ligado à Bíblia, que amava a Palavra de Deus e se orientava por ela. Davi se destacou acima de tudo por uma coisa: seu profundo anseio pela salvação de Deus, seu anseio pelo Salvador: “Suspiro, Senhor, pela tua salvação...” (Sl 119.174).
Clicando no link ou no título poderás ler o artigo na íntegra.
Davi e Sua Forma de Resolver Problemas | Mensagens | Chamada

MATURIDADE ESPIRITUAL

O salmista declarou que "o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã" (Sl 30:5). A vida é uma composição de "altos e baixos", no entanto, o mesmo não se pode aplicar à vida espiritual. É natural que cresçamos e que mantenhamos a maturidade conquistada, alimentando-nos corretamente com a Palavra de Deus, que, inclusive, afirma: "antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo, do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor" (Ef 4:15).
Devemos florescer onde estamos plantados. Cabe a cada um de nós cumprirmos a real função e propósito divino - frutificar, multiplicar. Mudança não significa crescimento. Um dos maiores pensadores cristãos, afirmou: "Mera mudança não é crescimento. Crescimento é a síntese de mudança e continuidade, e onde não há continuidade não há crescimento" (C. S. Lewis).
Cresça em amor, mas sem evitar as pessoas difíceis;
Cresça na vida espiritual, mas sem se afastar dos mais fracos;
Cresça na paz, mesmo em meio às pessoas que vivem em guerra;
Mostre com seu bom trato que você está crescendo, mesmo que ao seu redor as adversidades sejam seu maior desafio.
Suporte os fracos; ajude a carregar as cargas dos demais! Em Cristo, vida vitoriosa!

Maior Livro do Mundo

A Hungria entrou para o Guinness, livro dos recordes, com o maior livro do mundo. A obra feita pelo húngaro Bela Varga, sua mulher e outros 25 voluntários mede 4,18 metros por 3,77 metros, pesa 1.420 quilos e conta com 346 páginas. O livro está exposto em Szinpetri, a cerca de 240 quilômetros da capital Budapeste, segundo a imprensa húngara.

http://ebooksgratis.com.br/informacao-e-cultura/curiosidades/curiosidades-hungria-bate-recorde-com-livro-de-14-tonelada/

segunda-feira, 26 de julho de 2010

GRATIDÃO

Muito me alegrou um telefonema do Pr. Simões, dos Estados Unidos, que através da leitura de uma mensagem minha escrita no site, foi motivado a me telefonar e compartilhar algumas notícias tanto do Brasil como de seu ministério lá onde preside uma igreja.
Louvamos a Deus pelos amados leitores desse blog, bem como do site http://www.iprsaojose.org/

São mais de 3000 visitas só aqui no blog. Deus seja louvado, por nos permitir disseminar palavras de vitória para o mundo.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Dia da Mídia e do Intelectual

Está nas agendas-cortesia das gráficas e das editoras e nos calendários de marketing: 21 de junho é o Dia da Mídia e o Dia do Intelectual.
Isto me faz lembrar dos Salmos 12 e 15. Temos ali alguns preceitos que podem se tornar verdadeiros guias para quem trabalha com comunicação cristã. Os dois salmos juntos (13 versículos) fazem mais de quinze referências a ações que se relacionam à comunicação.
Pela leitura de tais salmos percebe-se que há uma “guerra de discursos”. De um lado, palavras que assustam, destroem, dominam, arrogantes, desafiadoras de Deus, mentirosas, divulgadoras de valores invertidos, sem entendimento, a serviço da desordem reinante.
De outro, o discurso que recorda as promessas e que garante a intervenção de Deus, que fala do que é certo, verdadeiro, sincero, que não repete boatos e mexericos, que rejeita e condena o que Deus rejeita , que se alia com aqueles que fazem o que Deus aprova, que faz propaganda de Deus, que interpreta os fatos à luz desses parâmetros, que lamenta a falta de respeito ao sagrado, que condena a incredulidade, que é contra-cultura. 
Este segundo discurso só tem valor se for coerente com o agir : “O que vive com integridade, e pratica a justiça, e, de coração, fala a verdade” (Sl 15.2). Esta mídia tem que ser íntegra. Desta forma, terá a honra e a grande responsabilidade de participar de projetos de Deus para a restauração deste mundo.
A missão e os valores da Ultimato – descritos há mais de 30 anos – incorporam várias das “sugestões” destes salmos: “Ao lado de muitos outros, trabalhamos para criar uma mentalidade bíblica e ensinar a arte de encarar os acontecimentos sob uma perspectiva cristã”. Mais à frente: “Ultimato pretende associar a teoria com a prática (...), o estudo com a simplicidade”. Fazemos questão de expressar que não valorizamos a intelectualidade dissociada da prática ou associada à sofisticação e à vanglória. Que Deus nos ajude a preservar e a não trair estes valores!
21 de junho é também o dia do 78º aniversário de Djanira Momesso César, peça chave nos 42 anos da mídia Ultimato! [veja Uma mulher nos bastidores da Ultimato].
• Klênia Fassoni, diretora administrativa da Editora Ultimato.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Por que precisamos ser salvos?

Injustiça Generalizada, Rm 3:10-12 – ... Não há um justo, nem um ...
Universalidade do pecado, Rm 3:23 – ... todos pecaram e destituídos ...
Necessidade do Novo nascimento, Jo 3:3,5 – aquele que não nascer de novo, ...
Condenação aos incrédulos, Mt 25:41,43 – Apartai-vos de mim, malditos, para ...
O desespero no hades, Lc 16:24 – ... manda a Lázaro, que ...
O juízo é uma realidade, Rm 5:18a – ... por uma só ofensa veio o juízo sobre ...
Resultado de uma vida de pecado, Rm 6:23a – ... o salário do pecado é a morte ...
O fogo do inferno é eterno, Mc 9:43-44 – ... inferno ... o fogo que nunca se apaga ...
É necessãrio estar inscrito no céu, Ap 20:15 – E aquele que não foi achado escrito ...
A condenação se consumará no lago de fogo, Ap 21:8 – ... quanto aos tímidos, incrédulos ... sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre.

Como Ser Salvo?

a) Arrependa-se!
Luc 13:3 – ... se não vos arrependerdes todos perecereis ...
At 3:19 – “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para...

b) Converta-se!
Mt 18:3 – ... se não vos converterdes e não ...

c) Creia!
At 16:31 – ... Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo...
Jo 3:18 – Quem crê nele não é condenado; mas ...

d) Receba Cristo como seu único e total Salvador e Senhor!
Jo 1:12 – Mas, a todos quantos o receberam ... filhos de Deus ...
Rom 10:9-10 – ... boca confessares ... em teu coração creres serás salvo.

e) Confesse a Cristo publicamente!
Mt 10:32-33 – ... qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei...

Intolerância Bíblica

Gostaria de enfatizar esta verdade, asseverando que existe, na fé cristã, um lado de intolerância. Vou mais além e afirmo que, se não temos visto este lado intolerante da fé, provavelmente nunca vimos verdadeiramente a fé. Existem muitos mandamentos nas Escrituras que substanciam a afirmativa de que colocar mais alguém ao lado de Jesus, ou falar de salvação a parte dEle, ou sem que Ele seja o centro dela, é traição e negação da verdade. O apóstolo Pedro, dirigindo-se ao sinédrio em Jerusalém, disse: "porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome dado, entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos" (At.4:12).

Todo falso ensinamento deve ser odiado e combatido. O Novo Testamento nos diz que assim fez nosso Senhor e todos os apóstolos, e que eles se opuseram e advertiram as pessoas contra isso. Mas pergunto novamente: isto Å realizado hoje? Qual sua atitude pessoal quanto a isso? Acaso é você uma daquelas pessoas que diz que não há necessidade dessas negativas, e que deveríamos estar contentes com uma apresentação positiva da verdade? Subscrevemos o ensinamento prevalecente que discorda de advertências e críticas ao falso ensinamento? você concorda com aqueles que dizem que um espírito de amor é incompatível com a denúncia crítica e negativa dos erros gritantes, e que temos de ser sempre positivos? A resposta mais simples a tal atitude é que o Senhor Jesus Cristo denunciou o mal e os falsos mestres. Repito que Ele os denunciou como "lobos vorazes" e como "sepulcros caiados" e como "guias cegos". O apóstolo Paulo disse de alguns deles: "o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia". Esta é a linguagem das Escrituras. Pode haver pouca dúvida, mas a Igreja está como é hoje porque não seguimos o ensinamento do Novo Testamento e as suas exortações, e nos restringimos ao positivo e ao assim chamado "Evangelho simples", e fracassamos em acentuar negativas e críticas. O resultado é que as pessoas não reconhecem o erro, quando se defrontam com ele. Aceitam aquilo que aparenta ser bom, e se impressionam com aqueles que vem às suas portas falando da Bíblia e oferecendo livros sobre a Bíblia e profecias e coisas deste tipo. E eles, na condição de sua ignorância infantil, freqüentemente ajudam a propagar o falso ensinamento, porque não conseguem ver nada de errado nele. Além disso não compreendem que o erro deve ser odiado e denunciado. Eles imaginam-se a si mesmos cheios de um espírito de amor, são iludidos por satanás, a fera destruidora que estava no encalço delas, e que, num bote súbito, os agarrou com sua esperteza e sutileza.

Não é agradável ser negativo; ter que denunciar e expor o erro não dá alegria. Mas qualquer pastor que sinta, em pequena medida, e com humildade, a responsabilidade que o apóstolo Paulo conhecia num grau infinitamente maior pelas almas e o bem estar espiritual de seu povo, é forçado a fazer estas advertências. Isto não é desejado nem apreciado por esta moderna geração moralmente fraca. Muito amiúde a bancada tem controlado o púlpito e grande dano tem sobrevindo à Igreja. O apóstolo adverte a Timóteo que virá um tempo em que as pessoas "não suportarão a sã doutrina". Este é freqüentemente o caso no tempo presente, e assim tem sido durante este século. Por isso é importante que cada membro deva te ruma concepção real da Igreja e do oficio do ministro em particular.

Hoje há no mundo igrejas que na superfície parecem ser igrejas florescentes. Multidões se agregam a elas e demonstram demasiado zelo e entusiasmo. Mas num exame mais acurado descobre-se que a maior parte do tempo é tomado por música de vários tipos, e com clubes e sociedades e atividades sociais. O culto começa às 11:00h e tem que terminar exatamente ao meio-dia, e haverá sérios problemas se isso não ocorrer! Há apenas uma breve "reflexão" de quinze minutos, vinte minutos no máximo. O infeliz ministro, se não enxergar estas coisas com clareza, teme ir contra os desejos da maioria. Sua sobrevivência depende dos membros da igreja, e o resultado é que tudo é feito para se conformar aos desejos e anseios da congregação.

Mas deixe-me acrescentar que o ministro também não pode impor. É o próprio Senhor quem determina, Aquele que está assentado à mão direita de Deus e que deu "alguns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores" (Ef.4: t 1 ). Ele os deu para a edificação dos membros da Igreja, e é a mensagem dELE que deve ser pregada sem temor nem favor. Precisamos recuperar algo do espírito de John Knox cuja pregação fazia tremer a Maria, Rainha dos Escoceses.

O trabalho do ministro é edificar o corpo de Cristo. A ocupação do ministro é edificar a Igreja, não a si mesmo! Ai! Eles têm muito freqüentemente edificado a si mesmos, e temos lido de príncipes da igreja vivendo em posições de grande pompa e riqueza. Isto é uma gritante deturpação dos ensinamentos de Paulo! Observemos que os ministros são chamados para edificar, não para agradar nem entreter. O modo pelo qual deveriam fazer isso está resumido perfeitamente naquela passagem, imensamente lírica, de Atos Z0. O apóstolo Paulo está se despedindo dos presbíteros da igreja de Éfeso, à beira mar, e eis o que ele diz: "Agora, pois, encomendo-vos ao Senhor e È Palavra da Sua graça, que tem poder para vos edificar e dar herança entre todos os que são santificados" (v.32). "Palavra da Sua graça, que tem poder para vos edificar"! Não é surpresa que a igreja seja o que é hoje, pois lhe têm sido dados filosofia e entretenimento. Por meio delas um ministro pode, por enquanto, atrair e segurar uma multidão; mas não pode edificar; a tarefa dos pregadores é edificar, não atrair multidões. Nada edifica a não ser a inadulterada Palavra de Deus. Não há autoridade fora dela; e ela não pode de modo algum ser modificada ou nivelada para se adaptar à moda da ciência moderna, ou a alguns supostos "resultados confirmados da crítica" que está sempre em modificação. É o "eterno Evangelho" e é: a "Eterna Palavra a mesma que Paulo e os demais apóstolos pregaram, a mesma Palavra que os Reformadores protestantes pregaram, os Puritanos, e os grandes pregadores de duzentos anos atrás, como também Spurgeon no último século, sem qualquer modificação que fosse. É pelo fato de isso ter sido tão amplamente esquecido nos últimos cem anos que as coisas hoje estão como estão.

Autor: D. M. Lloyd-Jones

domingo, 18 de julho de 2010

Desfrute da Palavra de Deus

“Minhas palavras fazem o bem ao que anda retamente” (Mq 2.7)


Se queremos crescer na fé, em viver santo e no poder para servir, o nosso único fundamento é a Palavra de Deus. Ouviu-se certa vez uma pessoa orar assim: “Senhor, ajuda-nos a crer na tua Palavra”. Tal oração parece tão comum que não notamos a incongruência de tal pedido. O verdadeiro crente não precisa pedir ajuda para crer na Palavra de Deus, uma vez que o crer na Palavra do Deus vivo deve ser a coisa mais fácil e natural para ele. Todavia, o fato que nos surpreende é esse: a maior parte dos cristãos é incrédula. Conquanto confiem na Palavra de Deus no que respeita ao arrependimento e à fé, e aceitem a promessa do perdão divino, embora tenham recebido a Cristo, tenham vida eterna nele e creiam na oração (ainda que a limitem a meros pedidos), a verdade dura é que ignoram ou não usam a maior parte das grandes promessas de Deus, de vitória cristã e de poder para servir.

sábado, 17 de julho de 2010

Deus é Real

Um homem certa vez tentou zombar da idéia de Deus. Ele perguntou a seu vizinho crente se ele já havia visto Deus. O crente admitiu que não. Em seguida perguntou se ele havia ouvido a voz de Deus, ou sentido o gosto de Deus, ou mesmo o cheiro de Deus. O crente admitiu que ele nunca tinha percebido Deus através dos sentidos físicos. Em seguida o crente fechou a boca do ateu perguntando se ele já havia contado uma mentira. Quando admitiu que sim, o crente perguntou que sensação tal ato havia deixado. O ateu admitiu que fora uma sensação de culpa e desconforto. Esta sensação era o testemunho da consciência dizendo-lhe que Deus existia, o Doador da lei moral, a quem ele teria que prestar contas. O motivo de um homem pagar ou prestar serviço a um outro a quem ele ofendeu é aplacar a um Deus ofendido. Todo homem sente Deus a não ser que sua consciência tenha sido cauterizada. O ateu é o louco educado. Não há ateus teóricos entre os pagãos. Não existe ateu entre os demônios; eles crêem e estremecem, Tiago 2:19.

Pornografia aumenta violência sexual contra mulheres e crianças, diz socióloga americana

A socióloga americana Gail Dines é uma crítica feroz da indústria do entretenimento adulto. É uma das fundadoras do movimento Stop Porn Culture (algo como “Parem com a cultura pornô”), dá aulas de sociologia e gênero na Faculdade Wheelock, em Boston, nos Estados Unidos, e é figura fácil em programas da televisão americana para falar sobre a opressão sofrida pelas mulheres. Mas, em seu último livro, a discussão lançada por Gail vai além da imagem negativa que a pornografia constrói sobre as mulheres. Em “Pornland” (Terra do Pornô), lançado no fim de junho nos Estados Unidos, Gail levanta uma hipótese perturbadora. Os filmes pornográficos, acessados pela internet por qualquer adolescente, seriam os responsáveis pelo aumento de casos de violência sexual contra a mulher e contra crianças. “Os estudos mostram que entre 40% e 80% dos homens que fazem download de pornografia infantil acabarão se envolvendo em algum tipo de abuso contra menores”, disse Gail ao Mulher 7×7. Para a autora, a única solução seria definir por lei a pornografia como uma “violação de direitos”.
Clique no link ou no título e leia tão importante artigo.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

A Farsa do Código da Vinci

O livro "O Código Da Vinci", em destaque na lista de best-sellers do New York Times, cativou a atenção de milhões de leitores, motivou um programa especial no horário nobre na ABC News e está para ser lançado como um importante filme de Hollywood em 2005. O livro prende o leitor com uma história excitante de aventura e intriga, fazendo-o acompanhar seus personagens numa louca incursão pela Europa à medida em que procuram indícios da verdadeira identidade de Jesus Cristo.
O problema é que o livro aborda a vida de Jesus de uma maneira completamente antibíblica, ofensiva e estarrecedora para os que nEle crêem. Assim como tantos outros ataques à integridade de Jesus Cristo, O Código Da Vinci declara que Jesus realmente existiu, mas que Ele era meramente humano e não divino. Na realidade, os personagens do livro alegam insultuosamente que Jesus foi casado com Maria Madalena e que teria deixado uma linhagem de descendentes humanos, alguns dos quais estariam vivos hoje.
O enredo deturpado gira em torno de uma série de indícios ocultos nas obras de Leonardo da Vinci, que pintou "Mona Lisa" e "A Última Ceia". O romance apresenta da Vinci como membro de uma sociedade secreta chamada de "Priorado de Sião", fundada em 1099. O livro também liga algumas celebridades como Sir Isaac Newton, Victor Hugo e Claude Debussy à teoria da conspiração de que o priorado teria deliberadamente escondido a "verdade" sobre Jesus e Maria Madalena do resto do mundo durante séculos.
O romance envolve a história de Robert Langdon, um simbologista de Harvard, e uma criptógrafa francesa chamada Sophie Neveu ("nova sabedoria", em francês). Juntos, eles teriam encontrado uma série de vestígios criptografados que revelam os "segredos" do Cristianismo: que Deus seria uma mulher, Jesus teria descendentes e que Maria Madalena seria divina. O livro alega que essas verdades estariam escondidas numa série de documentos secretos chamados de "Documentos do Santo Graal".
Dan Brown tece uma narrativa com grande poder de entretenimento, mas perigosamente blasfema, em O Código Da Vinci. Ele afirma que Maria Madalena seria o Santo Graal (o cálice de Cristo), que ela e Jesus seriam os progenitores da linhagem merovíngia de governantes europeus e que ela estaria sepultada sob a pirâmide invertida de vidro no Louvre, em Paris, onde ainda hoje se poderia sentir emanações de seu espírito divino.
Engano intencional
O romance descreve o Cristianismo como uma gigantesca conspiração baseada numa grande mentira (a divindade de Cristo). Os personagens de Brown sugerem que os apóstolos e pais da igreja seriam nada mais do que opressores patriarcais que teriam suprimido a adoração à "divindade feminina". Na verdade, o livro descreve os Evangelhos do Novo Testamento como produtos humanos de machos chauvinistas anti-feministas que teriam procurado reinventar o Cristianismo para oprimir as mulheres e reprimir a adoração à deusa.
A agenda feminista é ostentosa por todo o romance, alegando que a igreja primitiva, dominada por homens e liderada por Pedro, teria se voltado contra Maria Madalena após a morte de Jesus e provocado sua fuga para a França (a antiga Gália). Então, o imperador Constantino teria convenientemente deificado Jesus a fim de consolidar seu controle sobre o mundo. O livro indica que na votação do Concílio de Nicéia sobre a divindade de Cristo o resultado teria sido apertado. Na realidade, houve 300 votos favoráveis e apenas dois contrários. Dificilmente essa pode ser considerada uma eleição disputada! Mas, definitivamente, a precisão histórica não é o ponto forte do romance.
Essa é apenas uma das muitas distorções deliberadas existentes no livro. Outra envolve os heréticos evangelhos gnósticos escritos no final do século II como sendo os evangelhos "reais". Encontrados em Nag Hammadi no Egito, em 1946, esses mitos gnósticos nunca foram reconhecidos pela igreja primitiva como Escrituras legítimas. O Dr. Albert Mohler, presidente do Seminário Batista do Sul (nos EUA), disse que "as Escrituras do Novo Testamento foram reconhecidas e destacadas devido à sua autoria apostólica e pelo seu conteúdo claramente ortodoxo". Em contrapartida, Mohler afirma que os textos de Nag Hammadi são "facilmente identificáveis como literatura gnóstica distanciada da Igreja".
É verdade que a igreja medieval distorceu as verdades básicas da mensagem simples do Evangelho. Mas foi vários séculos depois da época de Cristo e dos apóstolos que ela acrescentou idéias como a salvação pelas obras, a veneração de santos e a importância de relíquias sagradas, como o chamado "Santo Graal" – o cálice de Cristo. Em O Código Da Vinci o "cálice" é Maria Madalena, mitologizada e sexualizada como se fosse a amante ou esposa de Jesus Cristo.
Distorção diabólica
Em comparação ao livro O Código Da Vinci, o filme "A Última Tentação de Cristo" parece ameno. O romance de Brown acusa o Cristianismo de culpar a mulher pela queda de toda a raça humana. Ele parece esquecer que a história de Adão e Eva é judaica e antecipa o Novo Testamento por muitos séculos. Na realidade, o enredo de O Código Da Vinci é uma combinação de secularismo ostensivo com feminismo hostil.
O livro assevera que o próprio Da Vinci, um cientista brilhante e pintor renascentista, estaria ciente da verdade sobre Maria Madalena e a teria representado como João, sentado próximo a Jesus em sua "A Última Ceia". O romance deixa a impressão de que Maria estaria retratada na pintura de Da Vinci como a esposa de Cristo. Ele também afirma que Pedro estaria fazendo um gesto ameaçador em direção a Maria como se estivesse tentando eliminar a influência feminina da Igreja. Na realidade, de forma nenhuma Maria Madalena aparece no quadro! Os personagens de Brown "lêem" na pintura aquilo que eles querem ver – a feminização do Cristianismo.
Não há nada no registro bíblico sobre a Última Ceia que indique a presença de mulheres nessa refeição. Também não há qualquer indicação nos Evangelhos bíblicos de que os discípulos guardaram o cálice de Cristo, pedaços da cruz ou quaisquer outras relíquias religiosas. Não é o cálice no qual Jesus bebeu que nos salva, tampouco lascas da cruz onde Ele morreu. O sangue que Ele derramou naquela cruz, simbolizado pelo cálice, é a verdadeira base para nossa salvação.
A Bíblia diz: "a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé" (Romanos 3.25); "no qual temos a redenção, pelo seu sangue" (Efésios 1.7); "e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz" (Colossenses 1.20); "e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado" (1 João 1.7).
Desafio decisivo
Não tenho idéia de quais são as convicções religiosas de Dan Brown, mas posso dizer-lhes com certeza que não são baseadas em crenças cristãs ortodoxas. Seu romance é fascinante e de grande poder de entretenimento, mas é exatamente esse o problema. Jovens pastores me contam que são bombardeados com perguntas céticas de recém-convertidos que ficam genuinamente perturbados ao lerem o livro, por parecer tão convincente.
O Cristianismo superou tais críticas antes e o fará novamente. A verdadeira história do Evangelho ainda é a maior história que já foi contada! Os ensinamentos de Jesus Cristo sempre foram e sempre serão superiores a qualquer coisa que o mundo venha a oferecer. Ao mesmo tempo, não podemos enfiar nossa cabeça na "areia eclesiástica" e simplesmente desejar que esse tipo de coisa desapareça.
Há respostas reais para as questões levantadas em O Código Da Vinci. Tais desafios à fé devem nos estimular a lidar com essas questões, respondendo as perguntas para satisfazer as mentes honestas e inquiridoras. O que me preocupa é a mentalidade da geração pós-moderna. Talvez a questão real não seja o que o livro contém, mas o fato de que um público biblicamente ignorante o leve realmente a sério.
Em alguns aspectos, O Código Da Vinci é mais uma acusação à nossa geração do que ao autor do livro. Quando estava entrando na adolescência, nos anos 60, eu ficava continuamente chocado pela ingenuidade de meus pais, que acreditavam em tudo que liam no jornal só porque estava escrito ali. Nunca lhes ocorreu que as reportagens e editoriais eram redigidos por pessoas com agendas pessoais e políticas. Eles haviam crescido numa época em que se acreditava naquilo que se lia, não importando quem era o autor. O mesmo é verdadeiro, e até ainda mais, para a televisão e o cinema. Da mesma forma como muitas vezes expliquei essa realidade para a geração de meus pais, advirto a atual geração: não acreditem em tudo que vocês lêem em um romance ou vêem em um filme!
A Bíblia exorta: "Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora. Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo" (1 João 4.1-3). (Pre-Trib Perspectives)
Por, Dr. Ed Hindson - Assessor do reitor da Liberty University em Lynchburg/VA (EUA)
Chamada da Meia-Noite - 2004.

Deus não Rejeita a Quem O Invoca


Pedir a Deus - o melhor a fazer

Em uma fábrica de tecidos, onde funcionavam teares muito complicados, havia uma placa que dizia: "Se os fios se emaranharem, chame o supervisor". Recentemente aconteceu o seguinte: os fios do tear de uma operária muito dedicada e hábil se enrolaram. Imediatamente ela tentou desenredá-los, mas seus esforços somente tornavam maior a confusão. Finalmente, cansada e mal humorada, ela pediu ajuda ao supervisor.
"Você mesma já tentou separar os fios?", perguntou ele. – "Sim". – "Por que você não me chamou, conforme a norma?" – "Fiz o melhor que pude", respondeu ela. – "Lembre-se, ‘o melhor' em tal caso é me chamar!"

Clique no título ou no link e leia a mensagem completa.

Deus Está Sempre Acessível

Deus está sempre acessível! Nenhum tempo ou lugar nos separa da possibilidade de falar com o Senhor. Para encotrá-lo não há sala de espera em que tenhamos que passar horas angustiosas de incerteza. Uma visita ao médico muitas vezes exige paciência. Então surge logo a pergunta: durante quanto tempo terei que esperar? Quando chegará a minha vez? É desse modo que ficamos sentados nas salas de espera
Clique no link ou no título e leia.
Deus Está Sempre Acessível

A Incredulidade

“Porém o capitão a cujo braço o rei se apoiava respondeu ao homem de Deus: Ainda que o SENHOR fizesse janelas no céu, poderia suceder isso? Disse o profeta: Eis que tu o verás com os teus olhos, porém disso não comerás” (2 Reis 7:2 ARA).

Desde os mais remotos tempos da história humana, convivemos com a incredulidade. Esse homem verbalizou isso e pagou com a vida poucos versículos adiante. Não foi diferente com muitos outros, e não creio que deva ser até que venha o Senhor.
A incredulidade é abastecida pela dureza do coração, provavelmente semeada por uma mente que não consegue ceder espaço para o que não vê ou não faz sentido. No caso deste capitão, era o caso dele considerar impossível e até mesmo para o Senhor. Erro mortal. Eu tenho visto e convivido com pessoas que, mesmo nos nossos dias, se negam a dar espaço para a fé.
Isso poderia ser algo até aceitável em um mundo diferente, mas estou me referindo a pessoas que frequentam uma igreja e se dizem cristãos. Pessoas que não conseguem aceitar o que não faz sentido, o que é impossível (de fato ou em suas mentes), são pessoas como este capitão. Nós precisamos ser diferentes. Pouco importa quantas pessoas tenha para comer, creia que cinco pães bastarão. Não importa a duração da seca, creia na pequena nuvem que vem vindo. Não analise a fome que está instalada, olhe para o que o Senhor diz.
Se agirmos assim seremos os maiores beneficiados. Eu tenho presenciado curas físicas, de dor de cabeça a câncer, inclusive em pessoas da família. Eu tenho visto homens e mulheres mudarem tanto, e para melhor, que seus cônjuges e pais os tem estranhado. Eu tenho presenciado cenas de arrependimento e pedidos de perdão que eram literalmente impossíveis. Eu tenho experimentado uma provisão e suprimento de Deus que é sobrenatural. Por que não creria?
Se você não tem testemunhado nada neste sentido, creia e talvez comece a ver. Se não, potencialize sua fé crendo mesmo sem ter visto. Experimente a diferença.

“Pai, obrigado por abrir meus olhos para o perigo de não crer na Tua poderosa mão e limitar Tua ação. Ensina-me a crer e fortalece-me para que eu não dependa dos meus olhos e sim de Ti.”

Mário Fernandez
www.ichtus.com.br

BÍBLIA E CIÊNCIA DE MÃOS DADAS

QUERO REGISTRAR MINHA TOTAL APRECIAÇÃO À DIRETORIA EXECUTIVA DA IPRB, POR NOS PROPORCIONAR NOS DIAS 12 A 14 DE JULHO DE 2010 UM SEMINÁRIO DE ALTÍSSIMO NÍVEL SOBRE A DEFESA DA FÉ BÍBLICA NO CONTEXTO CIENTÍFICO O 3º MILÊNIO COM O BRILHANTE PROFESSOR ADAUTO LOURENÇO - GENTE FINÍSSIMA E MUITO PREPARADO. 
FORAM MOMENTOS DE COMUNHÃO E TAMBÉM DE MUITO APRENDIZADO.
POSSO AFIRMAR O QUE ALGUÉM JÁ DISSE: "A POUCA CIÊNCIA NOS AFASTA DE DEUS, MAS A MUITA CIÊNCIA NOS APROXIMA MAIS DELE".

PARABÉNS AOS REALIZADORES.

ATÉ O PRÓXIMO, SE DEUS QUISER!.
PASTOR.WANDERLEY DA SILVA

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Jesus - Salva Pecadores e Condena Fariseus

O modo como Jesus lidava com pecadores normalmente era marcado por uma ternura tão grande que ele chegou a ganhar um apelido desdenhoso de seus críticos: amigo de pecadores (Mateus 11:19).
Quando encontrava os casos mais graves de leprosos morais (desde uma mulher que vivia em adultério, em João 4:7-29, a um homem infestado de uma legião inteira de demônios, em Lucas 8:27-39), Jesus sempre ministrava na vida deles com notável benevolência — sem fazer nenhum sermão ou duras repreensões. Invariavelmente, quando se aproximavam dele, essas pessoas já estavam destruídas, humilhadas e cheias da vida de pecado. Ansioso, ele lhes concedia perdão, cura e plena comunhão com ele com base na fé que elas
possuíam, e nada mais (cf. Lucas 7:50; 17:19).
A única classe de pecadores com a qual Jesus sempre lidava com rigor eram os hipócritas profissionais, falsos religiosos, falsos mestres e os moralistas que promoviam a espiritualidade plástica — os escribas, peritos na lei, saduceus e fariseus. Esses eram os líderes religiosos em Israel — as “autoridades” (usando um termo que as Escrituras muitas vezes usam para se referir a eles) religiosas. Eram os guardiões déspotas da tradição religiosa. Preocupavam-se mais com costumes e convenções do que com a verdade. Quase todas as vezes que aparecem nas histórias do evangelho, a preocupação deles é, principalmente, manter as aparências e agarrar-se ao seu poder. Qualquer pensamento que pudessem ter tido com relação à autêntica piedade sempre vinha depois de outras questões acadêmicas, pragmáticas ou de interesse próprio. Eles eram os hipócritas religiosos por excelência.

Do Livro A OUTRA FACE - John MacArthur, Ed. Thomas Nelson Brasil

terça-feira, 6 de julho de 2010

Homem Bem Sucedido

A coisa mais importante que um


marido pode fazer por sua esposa é buscar ao Senhor com todo o seu

coração e com todo o seu ser. Se ele colocar Deus em primeiro lugar,

Deus lhe Dará a força e o desejo de ser um marido extraordinário.

Amy Dunlop

segunda-feira, 5 de julho de 2010

ENCONTRO COM DEUS DE MULHERES

LOUVAMOS A DEUS POR MAIS UM ENCONTRO COM DEUS DE MULHERES REALIZADO NESTE FINAL DE SEMANA - 02 A 04 DE JULHO DE 2010. TODAS AS EXPECTATIVAS FORAM SUPERADAS - NÚMERO DE PARTICIPANTES, ORGANIZAÇÃO, COMUNHÃO E UNÇÃO. DEUS É FIEL!
MUITO LINDA A OBRA QUE DEUS REALIZOU NA VIDA DE CADA PARTICIPANTE. FOI UMA TRANSFORMAÇÃO SOBRENATURAL.
O CULTO DE CELEBRAÇÃO ONTEM À NOITE, 04/07 FOI MUITO ABENÇOADO - MUITA GENTE, IGREJA SUPERLOTADA E UMA UNÇÃO TREMENDA.

PARABÉNS À NOSSA FAMÍLIA RENOVADA. QUE DEUS SEJA GLORIFICADO! AGORA ESTAMOS CONCENTRADOS PARA O BATISMO QUE SERÁ UM MARCO DE VITÓRIA!

VENHA VOCÊ TAMBÉM CONHECER ESSA FAMÍLIA RENOVADA
RUA ADÃO SCHMIDT, 68 - BARREIROS - SÃO JOSÉ-SC - FONE (48)3034-1480

quinta-feira, 1 de julho de 2010

O cristão e a obediência

Só o crente é obediente, e só o obediente é que crê.
Apresentar a primeira frase sem a segunda constitui grave perda de fidelidade bíblica (…). Primeiro a fé, depois a obediência. Se assim se quiser provar apenas a justificação pela fé e não pelo ato de obediência, então estamos diante da premissa necessária e irrefutável de tudo o mais. Se, porém, se procurar estabelecer cronologicamente que primeiro se deve crer, seguindo-se, depois a obediência, então fé e obediência são separadas uma da outra, ficando em aberto a seguinte pergunta:  Quando deve começar a obediência? Assim, a obediência permanece separada da fé.
Só o obediente é que crê. É necessário prestar obediência a uma ordem concreta, para que possa haver fé. É preciso dar um primeiro passo obediente, para que a fé não se transforme em uma auto-ilusão piedosa ou na graça que chamamos barata. Tudo depende do primeiro passo, que se distingue qualitativamente de todos que se seguem. O primeiro passo de obediência impõe a Pedro abandonar as redes e saltar do barco (…). A fé não é possível nesta nova existência que a obediência criou. 
Vivemos um tempo de grande religiosidade, uma religiosidade que muitas vezes “bebe em outras fontes” na busca por paz e bem estar para o individuo. Neste contexto, não há espaço para uma fé comprometedora, e esta é uma das diferenças entre religiosidade e vida de fé. Fé é mais do que “acreditar que”, é diferente do que a busca pelo bem estar da alma.
A fé crista está centrada no Cristo testemunhado na Bíblia e precisa ser constantemente medida e corrigida neste Cristo. Fé não é uma conquista, mas um presente, um dom. Nada do que se possa imaginar serve para adquirir fé. Ela é graça e nada mais. Entretanto, ela não fica inoperante, ela é dinâmica e desafiante. A resposta à graça da fé é a obediência. Fé não é um sentimento religioso, ela se concretiza na obediência no dia a dia.
O mundo está rodeado de testemunhas cristãs que transformaram sua fé em obediência, que as levou a colocar suas vidas a serviço de causas bem concretas. E temos também uma nuvem de testemunhas quase anônimas, que se sabem chamadas e que obedecem.
Fé sem obediência e obediência sem fé são apenas frases ocas que não podem ser levadas a sério. Elas são, isto sim, um anti testemunho, são uma negação de Deus. No momento em que se transforma a fé e a pratica crista em mera religiosidade, deturpa-se o evangelho. Ser luz do mundo e sal da terra, segundo as palavras de Jesus, pressupõe o binômio fé e obediência. Esta obediência, porem, não busca méritos pois ela é apenas a outra face da fé. Fé e obediência colocam-se a serviço da vida, e não apenas da própria.
Dietrich Bonhoeffer