quinta-feira, 1 de julho de 2010

O cristão e a obediência

Só o crente é obediente, e só o obediente é que crê.
Apresentar a primeira frase sem a segunda constitui grave perda de fidelidade bíblica (…). Primeiro a fé, depois a obediência. Se assim se quiser provar apenas a justificação pela fé e não pelo ato de obediência, então estamos diante da premissa necessária e irrefutável de tudo o mais. Se, porém, se procurar estabelecer cronologicamente que primeiro se deve crer, seguindo-se, depois a obediência, então fé e obediência são separadas uma da outra, ficando em aberto a seguinte pergunta:  Quando deve começar a obediência? Assim, a obediência permanece separada da fé.
Só o obediente é que crê. É necessário prestar obediência a uma ordem concreta, para que possa haver fé. É preciso dar um primeiro passo obediente, para que a fé não se transforme em uma auto-ilusão piedosa ou na graça que chamamos barata. Tudo depende do primeiro passo, que se distingue qualitativamente de todos que se seguem. O primeiro passo de obediência impõe a Pedro abandonar as redes e saltar do barco (…). A fé não é possível nesta nova existência que a obediência criou. 
Vivemos um tempo de grande religiosidade, uma religiosidade que muitas vezes “bebe em outras fontes” na busca por paz e bem estar para o individuo. Neste contexto, não há espaço para uma fé comprometedora, e esta é uma das diferenças entre religiosidade e vida de fé. Fé é mais do que “acreditar que”, é diferente do que a busca pelo bem estar da alma.
A fé crista está centrada no Cristo testemunhado na Bíblia e precisa ser constantemente medida e corrigida neste Cristo. Fé não é uma conquista, mas um presente, um dom. Nada do que se possa imaginar serve para adquirir fé. Ela é graça e nada mais. Entretanto, ela não fica inoperante, ela é dinâmica e desafiante. A resposta à graça da fé é a obediência. Fé não é um sentimento religioso, ela se concretiza na obediência no dia a dia.
O mundo está rodeado de testemunhas cristãs que transformaram sua fé em obediência, que as levou a colocar suas vidas a serviço de causas bem concretas. E temos também uma nuvem de testemunhas quase anônimas, que se sabem chamadas e que obedecem.
Fé sem obediência e obediência sem fé são apenas frases ocas que não podem ser levadas a sério. Elas são, isto sim, um anti testemunho, são uma negação de Deus. No momento em que se transforma a fé e a pratica crista em mera religiosidade, deturpa-se o evangelho. Ser luz do mundo e sal da terra, segundo as palavras de Jesus, pressupõe o binômio fé e obediência. Esta obediência, porem, não busca méritos pois ela é apenas a outra face da fé. Fé e obediência colocam-se a serviço da vida, e não apenas da própria.
Dietrich Bonhoeffer
Postar um comentário