sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Não Tenho Outro Plano

Conta-se que após Jesus realizar a obra salvadora aqui na terra, completada com a sua morte e sua ressurreição, subiu ao céu e encontrou-se com um anjo. Este lhe perguntou o que seria da igreja que ele havia iniciado, já que subira ao céu e fisicamente não poderia mais estar presente no mundo e dar continuidade à sua obra. Jesus respondeu: “Preparei e deixei na terra os meus discípulos, formando uma igreja, eles continuarão a minha obra e prepararão outros que farão o mesmo, até a minha volta”. Insistiu o anjo: “Mas, Senhor, tu deixastes uma obra tão nobre e importante como essa, de salvação das almas da perdição eterna, pela qual sofrestes e entregastes a tua vida, nas mãos de homens?”. A estas palavras, Jesus completou: “Não tenho outro plano”.
Se observarmos como o Evangelho tem se expandido ao longo dos tempos, a começar pelo livro de Atos dos Apóstolos e chegando até aos nossos dias, certamente iremos concluir que tal expansão muito se deveu à evangelização pessoal, isto é pessoa falando com pessoa.
Jesus gastava muito do seu tempo falando a poucas pessoas e também preparando os discípulos para continuarem a evangelização do mundo.
Veja quanto tempo Jesus se deteve com a mulher samaritana, travando um longo diálogo! E qual o resultado? Ela foi à cidade e anunciou aos seus habitantes tudo o que tinha ouvido e "muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher" (João 4:39). A mulher se tornou um evangelizadora pessoal no mesmo dia que creu em Jesus.
Observe como as pessoas se achegam a Jesus. Talvez também tenha acontecido com você ou com pessoas que você conhece. Na maioria das vezes, tudo se iniciou com um contato pessoal, seguido por um convite para ir à igreja.
Evangelização pessoal, a sublime tarefa que Jesus entregou, não a anjos, mas a homens e a mulheres tais como você e eu.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Renovação espiritual

Renovação espiritual
2 Coríntios 4:16-18

Introdução: Ao iniciarmos uma etapa em nossa vida é conveniente que tenhamos em mente alguns princípios fundamentais. Quem não cuida acaba perdendo ou tendo sérios prejuízos. Quando compramos um carro, uma casa, uma roupa, um bem qualquer, se não cuidarmos vai desgastando e acabando.
A renovação espiritual é algo que jamais poderá ser esquecido. É uma bênção servir ao Senhor e desfrutar da vida cristã, que é descrita como: vida abundante, vida nova, nova criação, vida de luz, vida santa, vida vitoriosa, vida no Espírito, cidadania celestial e etc. É muito bom poder contar com a presença gloriosa do Espírito Santo em nossa vida.
Com o passar dos dias podemos manifestar um desgaste, motivado pelo descuido e pela falta de atitude sábia, que nos levariam mais perto de Deus. Tudo pode cooperar para o nosso bem, mas se omitirmos a nossa responsabilidade na manutenção de nossos compromissos espirituais, poderemos sucumbir. A Bíblia apresenta a gravidade de se experimentar o poder de Deus e não se manter nele. Jesus falou que vem mais sete espíritos piores e junta-se ao que havia antes e o estado dessa pessoa fica pior do que era. Para que isso não aconteça com você quero mostrar-lhe a necessidade de manter uma vida dentro do processo de renovação espiritual.

1) A vida cristã é cheia de desafios

Não se pode vencer sem a consciência e a busca de um incessante renovar do homem interior, pois é onde se trata nossas maiores batalhas. Em meio a tantas lutas e tentações, faz-se necessário separar um tempo para alimentar a alma para se recompor as forças devido ao desgaste diário. A verdadeira medida da nossa fé está em como comportamos em tempos de provações. É necessário beber do rio de Deus e se alimentar do pão que alimenta e sustenta, a Palavra de Deus.

2) Ninguém é uma fortaleza imbatível

Não podemos achar que exista alguém que não precisa se aquietar e entrar de forma exclusiva na presença divina, a fim de receber graça. Não podemos achar que Deus quer que nos lancemos a fazer, fazer e fazer. Na verdade, Deus conhece a nossa estrutura e sabe que, como seres humanos, podemos sucumbir no meio da caminhada. Por essa razão Ele quer que cultivemos a comunhão para mantermos firmes diante dos dias difíceis.

3) Não podemos achar que a caminhada é curta e que logo acabará

A caminhada cristã trata-se de uma longa jornada, portanto somos advertidos a correr com paciência a carreira. Sair na maior disparada e daqui a pouco fraquejar e parar não é interessante, nem para nós, sem para nossos irmãos e nem para Deus. É importante respirar de forma equilibrada, alimentar de forma saudável e avançar sempre com passos firmes.

4) Renovar significa manter sempre um nível de força suficiente que nos permita continuar

Devemos ter a firme resolução de avançar sempre. Na carreira cristã o verbo "desistir" jamais deve fazer parte da nossa história. Deus libera sobre nós força e sabedoria para que tenhamos uma vida abundante. Sendo assim, devemos confiar na provisão de Deus para nos manter renovados em força como a águia, subindo firmes com as suas asas buscando sempre o ponto mais alto da nossa comunhão e relacionamento com o Reino dos céus, a fim de que tenhamos uma visão ampliada em tudo quanto desejamos ou temos que desempenhar como filhos de Deus.

Conclusão: Sua vida é preciosa e deve ser mantida num alto padrão espiritual. Não vos embriagueis com vinho, mas enchei-vos do Espírito. Andai em espírito e não cumprireis os desejos da carne. Não negocie os princípios espirituais. Não dê legalidade para os demônios em sua vida, pelo contrário, seja cheio do Espírito Santo, resista o diabo e ele fugirá de vós.
Ministração: IPR São José, 10/03/2013 – Celebração do Encontro de Mulheres.

Wanderley da Silva

Advertências Que Não Podem Ser Ignoradas

Advertências Que Não Podem Ser Ignoradas
Gn 19.17

Introdução
Advertências são sinais e mensagens que nos alertam com o fim de evitar os perigos que estão por vir. Se prestarmos atenção e atendermos vamos poder celebrar as vitórias, mas caso as negligenciarmos sofreremos as consequências, que poderão ser terríveis.
Deus haveria de destruir as cidades de Sodoma e Gomorra, por causa da maldade e pecado que estava em grau elevado, mas queria salvar os justos que lá haviam. Ló e sua família eram pessoas que consideradas exceção no meio daquela geração perversa. Sendo assim, Deus enviou seus mensageiros  para orientar como haveriam de se salvar. O desejo de Deus é nos salvar, no entanto é interessante observarmos alguns aspectos importantes.

1. É séria e individual – “escapa-te por tua vida”
Deus deu ao homem o poder de escolha. Fez com que fosse totalmente impossível que qualquer ser humano permanecesse "em cima do muro". Ou você é bom ou é mau, salvo ou perdido – não há meio termo, posição intermediária, terreno neutro, para qualquer pessoa na face da terra. "Ninguém pode servir a dois senhores" (Mt 6.24). Sua vida, seu testemunho, ou vão contribuir para levar as pessoas à salvação, ou ajudará para que sejam condenadas. Jesus diz claramente: "Quem não é por mim, é contra  mim; e quem comigo não ajunta, espalha" (Mt 12.30). "Escolhei hoje a quem sirvais" (Js 24.15).

2. É  definitiva e decisiva – “não olhes para trás de ti”
“Não olhes” significa “não considere nada que ficou para trás”. "Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e AS PRATICA, será comparado a um homem prudente" (Mt 7.24). Do contrário, "Como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?" (Hb 2.3). Se deixarmos de escolher a salvação de Deus por Jesus Cristo, estaremos perdidos e caminharemos para o inferno, para o "fogo inextinguível" (Mc 9.43). "Onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga" (Mc 9.44).

3. É firme e persistente – “não pare em toda campina”
Deixar de escolher a Deus significa que já escolhemos o diabo e o pecado. Cada pessoa que atinge a idade de responsabilidade precisa tomar uma decisão clara e definida se vai aproveitar os prazeres do pecado por um tempo, ou se vai sofrer aflições com o povo de Deus neste "presente século mau". Esta última escolha se faz quando se ama mais a Deus do que a si mesmo e ao mundo, e porque se busca uma  pátria celestial, e se considera um estranho e peregrino na terra 
(Hb 11.13,25).

4. É a única maneira de se salvar – “escapa lá para o monte, para que não pereças”

Você escolhe o mundo ou escolhe a Deus? Não pode ter os dois. Ninguém pode servir a dois senhores. Não se enreda com as atrações do mundo.
"Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele" (1 Jo 2.15).
"Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus" (Tg 4.4).
"Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo" (Lc 14.33).

Conclusão

Salmo 124.1 diz: “SE NÃO FORA O SENHOR, QUE ESTEVE AO NOSSO LADO”. Se Deus não for conosco, não teremos qualquer possibilidade de escapar dos perigos ocultos da vida, nem de repelir nosso inimigo espiritual. Os perigos e lutas que se nos apresentam parecem tão invencíveis, que somente Deus com seu poder miraculoso pode salvar-nos. Por outro lado: Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Rm 8.31). Inimigo algum ou situação desfavorável poderá nos derrotar quando Deus está do nosso lado.

Como podemos conquistar almas para o Reino de Deus?

Como podemos conquistar almas para o Reino de Deus?
João 4:39-42"E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito. Indo pois ter com ele os samaritanos, rogaram-lhe que ficasse com eles; e ficou ali dois dias. E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra. E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo".

Introdução: Conquistar almas para Deus é resultado de sabedoria, Pv 11:30. Ainda que custe lágrimas e muito esforço o resultado é glorioso, Sl 126:5-6. O certo é que para haver conquista é necessário que tenhamos paixão pelas almas.

O texto básico mostra o que tem levado vidas da cidade samaritana de Sicar a se submeterem aos Senhor Jesus como Salvador. Vejamos o que influenciou os samaritanos a se integrarem ao Reino de Deus.


1) Através do testemunho pessoal que alguém lhes transmite, v. 39
"E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito".


Jesus falou aos discípulos que eles poderiam ser testemunhas eficaz após receberem a virtude do Espírito Santo, Atos 1:8.
"Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há-de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra".


2) Através das palavras infalíveis do Senhor Jesus, v. 41
"E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra".

A Palavra de Deus é viva e eficaz, produz resultados tremendos. É infalível e permanente, inclusive tudo pode passar, mas apenas a Palavra de Deus não passará.
Todos aqueles que forem edificados na Palavra de Deus serão seguros diante das dificuldades e circunstancias adversas.


3) Através das experiências pessoais com Jesus, v. 42
"E diziam à mulher: Já não é pelo teu dito que nós cremos; porque nós mesmos o temos ouvido, e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo".

Nada substitui as experiências pessoais com Jesus, pois quando alguém bebe da água que Jesus oferece, esta salta para a vida eterna. Quem recebe Jesus de todo coração, jamais negará sua fidelidade a Ele.

Conclusão: Não existe melhor método para conquistar alma do que este. Aqui vemos algo proposto pelo discipulado, algo progressivo: a mulher testemunhou, as pessoas se interessaram pela Palavra e tiveram sua própria experiência com Jesus.



Pr. Wanderley da Silva

terça-feira, 11 de agosto de 2015

O Sucesso da Igreja depende da União


2 Rs 10:15
Cada pessoa possui uma história escrita com lágrimas, alegrias, falhas, coragem, timidez, ousadia, insegurança, sonhos, sucessos e frustrações. Somos distintos na obra da criação, uma vez que somos seres pensantes, dotados de inteligência, sentimento e vontade. Feitos à imagem e semelhança de Deus, possuindo espírito, alma e corpo não podemos ignorar as reais necessidades em cada área da vida para que não retrocedamos, mas avancemos sempre. A falta de maturidade e firmeza naquilo que conquistamos leva-nos a focarmos mais uma área do que a outra e vez por outra desprezamos áreas da vida sendo indisciplinados.
Exemplo: (1) não posso deixar de buscar a Deus, isto é, de congregar para alimentar meu espírito, porque estou cuidando do bem-estar do corpo. (2) não posso ficar visitando igrejas todos os dias deixando de atender à família. Temos que estar ligados a uma Igreja que já nos é suficiente – pois Deus não se limita a esta ou aquela igreja, mas quem dá as diretrizes para o agir de Deus somos nós mesmos.
Por causa disso podemos ter exemplos de pessoas que se deram mal. Jesus afirmou: “que adianta o homem ganhar o mundo e perder a sua alma?” (Mt 16:26).

I – A MALDIÇÃO DA DESUNIÃO
“Pluralidade que não se reduz à unidade é confusão; unidade que não depende de pluralidade é tirania” (Blaise Pascal).
O próprio Jesus falou que uma casa dividida não prospera, mas vai cair na ruína: “Mas, conhecendo ele os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino, dividido contra si mesmo, será assolado; e a casa, dividida contra si mesma, cairá” (Lc 11:17).
O nosso dever de afastamento daqueles que se desviaram da verdade é muito mais bíblico do que a busca pela unidade a qualquer custo: “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles” (Rm 16:17). Essa admoestação não se dirige à observação somente dos “hereges”, mas também contra os que promovem “dissensões” doutrinárias, “Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos simples” (Rm 16:18).

II – A BÊNÇÃO DA UNIÃO
O próprio Deus dá uma declaração que quando o ser humano se une num mesmo propósito não haverá dificuldade em atingir os objetivos: “Eis que o povo é um, e todos
têm uma mesma língua; e isto é o que começam a fazer; e, agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer” (Gn 11:6).
Paulo roga pelo amor de Deus que sejamos unidos: “Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa e que não haja entre vós dissensões; antes, sejais unidos, em um mesmo sentido e em um mesmo parecer” (1 Co 1:10).
Orando ao Pai, Jesus disse: “Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós… E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17:11, 20 e 21). Essa idéia de unidade do corpo de Cristo resulta da idéia central da Tri-Unidade de Deus. Por isso que o apóstolo Paulo declarou: “Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão” (1 Coríntios 10:17).
A unidade do Corpo de Cristo permite a união dos desiguais: “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos… E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo” (1 Co 12:13-14 e 19-20). Paulo assim escreve para demonstrar que cada membro do corpo é diferente um do outro, mas forma uma unidade: uns são mãos, outros, pés, outros olhos, assim por diante – não somos todos apenas um membro do corpo, mas vários membros formando um só corpo: “E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós. Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários;… Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele” (vs. 21-22; 25-26).

III – UMA QUESTÃO DE ESFORÇO
A unidade deve ser buscada mesmo que mediante o esforço. “Esforçai-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz” (Ef.4.3). A palavra vínculo significa nó ou tudo o que estabelece ligação. Nós, como cristãos, precisamos enfatizar os nossos vínculos acima das nossas diferenças. O mesmo Senhor, o mesmo Espírito, o mesmo batismo, a mesma fé, a mesma esperança, tudo isso são vínculos que nos unem. São os fundamentos do cristianismo. Não devemos nos separar por causa de questões tão menores do que o amor de Cristo.
Muitas vezes, os irmãos começam a promover disputas e contendas entre si. Isso, além de ser destrutivo, desvia o cristão de seu papel espiritual. Paulo diz que “a nossa luta
não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso e contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestiais” (Ef.6.12). Se os irmãos guerrearem entre si, ou se omitirem no quesito unidade, estarão dando trégua na guerra contra Satanás e, assim, só ele ficará satisfeito.

CONCLUSÃO: “Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre” (Salmos 133).

A Igreja que cumpre a sua missão

A Igreja que cumpre sua missão

Mateus 16:18-19


Ao fundar a igreja, Jesus disse que sua obra seria vitoriosa, haja vista que as portas do inferno não prevaleceriam contra ela. Outro fato que ficou bem claro é que ela teria a sublime missão de propagar o Evangelho transformador, selado com seu sangue, que fora vertido na Cruz. A igreja precisa cumprir sua missão.

Negativamente

Não se ilude com modismos (tornaria reprovada)
Há uma tendência muito forte de querermos copiar algo que julgamos que está dando certo, no entanto, o que precisamos é saber se é certo, e não se está dando certo. Nem tudo que dá certo é de Deus.
O que fazemos ou fizermos nada adiantará se não for algo aprovado por Deus. Quem dá o crescimento é Deus. O inchaço, esse sim, é promovido pelos homens.

Não se conforma com o pecado (torn. Profana)
O tempo, os costumes, as culturas passam, mas a Palavra de Deus continua sempre a mesma. O que era pecado continua sendo. Com bom discernimento podemos distinguir atos pecaminosos e costumes pessoais. Precisamos entender que o padrão de justiça é determinado por Deus. O coração do homem é enganoso e tendencioso, mas Deus é imutável.

Não se afasta do altar de Deus (enfraqueceria)
Tudo quanto a igreja promove deve visar a dedicação de seus membros a Deus através de uma vida consagrada. Quem não se afasta do altar de Deus terá sempre o calor do Espírito Santo para os momentos sombrios da vida, bem como o refrigério no calor escaldante do deserto.


Positivamente

É uma igreja acolhedora
Aquilo que ninguém acredita, a igreja precisa acreditar. Pessoas rejeitadas pela sociedade precisam ter na igreja um ambiente acolhedor.
Conta-se que uma mulher, acima do peso, entrou numa loja. As roupas pareciam todas para pessoas magras. As vendedoras não entendiam porque aquela mulher estava lá. No entanto, uma delas atendeu a mulher. Vocês não tem nada grande aqui, nada que me serve, não é? A vendedora abriu os braços e disse temos sim. Abraçou aquela mulher que não se conteve e disse: hoje é o dia mais feliz da minha vida. Há muito tempo esperava por um abraço. As duas ficaram realizadas: uma por ter sido abraçada, a outra por poder abraçar. Isso ocorreu numa loja. Espera-se que na igreja isso seja mais intenso.

É uma igreja dinâmica
A igreja é um organismo vivo. Seu dinamismo não permite que fique presa a um sistema travado. Aliás, se cremos na direção do Espírito então não podemos prender sua ação, uma vez que Jesus disse que o vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem e nem para onde vai...

É uma igreja Discipuladora
Discipulado é transmissão de conhecimento. Paulo falou para Timóteo: o que recebeste, aprendeste, viste em mim, isso mesmo passa a homens fiéis, que passem a outros...
Jesus ordenou aos seus discípulos que fizessem outros discípulos...
Uma igreja que entende a missão do discipulado, cresce de forma madura e segura.

É uma igreja escatológica
A igreja precisa ter ciência que seu propósito é entesourar e preparar pessoas para a eternidade. Não adianta ensinar as pessoas a ganharem o mundo, pois seu ensino principal é garantir lugar no céu.
A igreja precisa acreditar no arrebatamento, sendo assim seu propósito não é se preocupar de forma exagerada com os caprichos terrenos, mas empenhar o máximo para não ser reprovada no final da caminhada.

Conclusão: Deus abriu essa porta, cremos que Deus está aprovando e esperando que através dela muitas pessoas sejam libertas e sejam inscritas no livro da vida.

Fortes devem suportar os fracos

Vocês que são fortes devem suportar os fracos

       A tolerância é uma atitude fundamental para quem vive numa igreja. Uma pessoa tolerante normalmente aceita as opiniões ou comportamentos diferentes daqueles estabelecidos pelo seu pensamento.
       Viver em sociedade, comunidade ou equipe exige que se tenha um leque de compreensão, haja vista, todos serem distintos e possuírem pensamentos divergentes. Devemos ter em mente que  podemos nos manter juntos apesar das diferenças, pois há mais pontos que podem nos unir do que desunir.
       Tolerância não quer dizer fazer-se de cego e ser conivente para com o pecado, pelo contrário, é promover o arrependimento e levar a pessoa a ser liberta. A intolerância seria anular a pessoa, excluindo-a. Toda pessoa, inclusive você e eu, precisa de uma segunda chance.
       Se não houver acordo, tolerância, certamente não se poderemos andar juntos. A Organização das Nações Unidas estabeleceu o dia 16 de novembro como dia da tolerância. Isso serve para conscientizar o mundo a respeito do assunto, mas o cristão nunca pode esquecer disso, pois nossa prática de vida está muito mais ligada aos outros do que as pessoas em geral.
       Jesus falou: “bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” (Mt 5). Só conseguimos viver dessa forma se deixarmos de lado nosso egoísmo e orgulho. 

VIVA na DIMENSÃO do AMOR

“Sede imitadores de Deus como filhos amados e andai em amor…” (Ef 5:1-2)

Amor, palavra tão linda, tão significativa, mas muito explorada e distorcida na sociedade atual. Muitos cheios de ódio já mataram e disseram que era por amor. Quem ama não mata, pelo contrário, deixa viver e coopera para que seja de forma abundante.
Amor, virtude sublime produzida nas atitudes das pessoas que permitem o direcionamento do Espírito Santo em seu contexto vivencial: “o fruto do Espírito é amor…” (Gl 5:22).
Amor, característica maior que identifica aqueles que são discípulos de Cristo, Jo 15:
Amor, novo mandamento que abrange toda Lei mosaica. Amor a Deus deve ser prioridade na escala relacional: “ame o Senhor, teu Deus, de todo teu coração, toda tua força e todo teu entendimento”; amor a mim mesmo, que serve de base para amar ao próximo: “ama teu próximo como a ti mesmo”.

Amor é decisão, uma vez que Jesus falou que devemos amar até os inimigos. Amar amigos é fácil e natural, mas amar inimigos é atitude grandiosa e nobre, que redundará em recompensas eternas.