quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Advertências Que Não Podem Ser Ignoradas

Advertências Que Não Podem Ser Ignoradas
Gn 19.17

Introdução
Advertências são sinais e mensagens que nos alertam com o fim de evitar os perigos que estão por vir. Se prestarmos atenção e atendermos vamos poder celebrar as vitórias, mas caso as negligenciarmos sofreremos as consequências, que poderão ser terríveis.
Deus haveria de destruir as cidades de Sodoma e Gomorra, por causa da maldade e pecado que estava em grau elevado, mas queria salvar os justos que lá haviam. Ló e sua família eram pessoas que consideradas exceção no meio daquela geração perversa. Sendo assim, Deus enviou seus mensageiros  para orientar como haveriam de se salvar. O desejo de Deus é nos salvar, no entanto é interessante observarmos alguns aspectos importantes.

1. É séria e individual – “escapa-te por tua vida”
Deus deu ao homem o poder de escolha. Fez com que fosse totalmente impossível que qualquer ser humano permanecesse "em cima do muro". Ou você é bom ou é mau, salvo ou perdido – não há meio termo, posição intermediária, terreno neutro, para qualquer pessoa na face da terra. "Ninguém pode servir a dois senhores" (Mt 6.24). Sua vida, seu testemunho, ou vão contribuir para levar as pessoas à salvação, ou ajudará para que sejam condenadas. Jesus diz claramente: "Quem não é por mim, é contra  mim; e quem comigo não ajunta, espalha" (Mt 12.30). "Escolhei hoje a quem sirvais" (Js 24.15).

2. É  definitiva e decisiva – “não olhes para trás de ti”
“Não olhes” significa “não considere nada que ficou para trás”. "Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e AS PRATICA, será comparado a um homem prudente" (Mt 7.24). Do contrário, "Como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?" (Hb 2.3). Se deixarmos de escolher a salvação de Deus por Jesus Cristo, estaremos perdidos e caminharemos para o inferno, para o "fogo inextinguível" (Mc 9.43). "Onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga" (Mc 9.44).

3. É firme e persistente – “não pare em toda campina”
Deixar de escolher a Deus significa que já escolhemos o diabo e o pecado. Cada pessoa que atinge a idade de responsabilidade precisa tomar uma decisão clara e definida se vai aproveitar os prazeres do pecado por um tempo, ou se vai sofrer aflições com o povo de Deus neste "presente século mau". Esta última escolha se faz quando se ama mais a Deus do que a si mesmo e ao mundo, e porque se busca uma  pátria celestial, e se considera um estranho e peregrino na terra 
(Hb 11.13,25).

4. É a única maneira de se salvar – “escapa lá para o monte, para que não pereças”

Você escolhe o mundo ou escolhe a Deus? Não pode ter os dois. Ninguém pode servir a dois senhores. Não se enreda com as atrações do mundo.
"Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele" (1 Jo 2.15).
"Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus" (Tg 4.4).
"Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo" (Lc 14.33).

Conclusão

Salmo 124.1 diz: “SE NÃO FORA O SENHOR, QUE ESTEVE AO NOSSO LADO”. Se Deus não for conosco, não teremos qualquer possibilidade de escapar dos perigos ocultos da vida, nem de repelir nosso inimigo espiritual. Os perigos e lutas que se nos apresentam parecem tão invencíveis, que somente Deus com seu poder miraculoso pode salvar-nos. Por outro lado: Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Rm 8.31). Inimigo algum ou situação desfavorável poderá nos derrotar quando Deus está do nosso lado.
Postar um comentário