sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Não Tenho Outro Plano

Conta-se que após Jesus realizar a obra salvadora aqui na terra, completada com a sua morte e sua ressurreição, subiu ao céu e encontrou-se com um anjo. Este lhe perguntou o que seria da igreja que ele havia iniciado, já que subira ao céu e fisicamente não poderia mais estar presente no mundo e dar continuidade à sua obra. Jesus respondeu: “Preparei e deixei na terra os meus discípulos, formando uma igreja, eles continuarão a minha obra e prepararão outros que farão o mesmo, até a minha volta”. Insistiu o anjo: “Mas, Senhor, tu deixastes uma obra tão nobre e importante como essa, de salvação das almas da perdição eterna, pela qual sofrestes e entregastes a tua vida, nas mãos de homens?”. A estas palavras, Jesus completou: “Não tenho outro plano”.
Se observarmos como o Evangelho tem se expandido ao longo dos tempos, a começar pelo livro de Atos dos Apóstolos e chegando até aos nossos dias, certamente iremos concluir que tal expansão muito se deveu à evangelização pessoal, isto é pessoa falando com pessoa.
Jesus gastava muito do seu tempo falando a poucas pessoas e também preparando os discípulos para continuarem a evangelização do mundo.
Veja quanto tempo Jesus se deteve com a mulher samaritana, travando um longo diálogo! E qual o resultado? Ela foi à cidade e anunciou aos seus habitantes tudo o que tinha ouvido e "muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher" (João 4:39). A mulher se tornou um evangelizadora pessoal no mesmo dia que creu em Jesus.
Observe como as pessoas se achegam a Jesus. Talvez também tenha acontecido com você ou com pessoas que você conhece. Na maioria das vezes, tudo se iniciou com um contato pessoal, seguido por um convite para ir à igreja.
Evangelização pessoal, a sublime tarefa que Jesus entregou, não a anjos, mas a homens e a mulheres tais como você e eu.
Postar um comentário