quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Comportamento diante das dificuldades 2



O QUE FAZER EM TEMPOS DE DIFICULDADES
Rm 12:21

INTRODUÇÃO: Tiago disse: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz  perseverança” (Tiago 1:2,3). É possível enfrentar as tribulações com alegria, desde que nos lembremos de que elas produzem uma coisa desejável no final. Os cristãos devem desejar ter mais perseverança, porque a perseverança produz estabilidade, maturidade  e  outras  qualidades  que adocicam a vida. Tiago também disse: “Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes” (Tiago 1:4).

1) CONFIE  EM DEUS

Devemos  recordar  Jó 42:12: “Assim, abençoou o Senhor o último estado de Jó mais do que o primeiro”. O Senhor abençoa! O sol se põe, mas ele também nasce (veja Ec 1:5). Não  devemos  questionar Deus, e sim confiar nEle. Quando a situação fica difícil demais, não é hora de nos afastarmos de Deus. Quantos se retiram da família de Deus quando enfrentam tempos de crise? Foi para esses momentos que a família de Deus  foi criada. A  fé que não sobrevive a uma crise é uma  fé  fraca. Quando Jonas enfrentou seu teste mais sério, ele confiou em Deus como nunca. Da barriga de um peixe, ele clamou: “Quando, dentro de mim, desfalecia a minha alma, eu me lembrei do Senhor; e subiu a ti a minha oração, no teu santo templo” (Jonas 2:7).
Façamos uma pausa para reflexão. Veja esses versos: “…consultai no travesseiro o coração e sossegai” (Sl 4:4). “Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que, hoje, vos fará” (Êx 14:13). Temos de parar de tentar lidar com nossos problemas ao nosso modo. Não podemos nos valer de nós mesmos. Temos de entregar nossos problemas e nós mesmos a Deus. O tranqüilizante divino é este pensamento: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre ele  toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 Pe 5:6, 7). Jó viveu muito antes de Pedro, mas foi quando Jó fez o que Pedro ensinou que Deus o exaltou.

2) AGRADEÇA A DEUS

Devemos ser gratos a Deus pelo que Ele já nos tem dado, em vez de sentir pesar pelo que  gostaríamos que Ele nos desse. Um pastor pediu aos membros de sua igreja que durante uma semana deveriam tentar apenas agradecer pelo que Ele já havia feito. Na semana seguinte, muitas confirmaram a dificuldade de compor uma oração sem pedir nada a Deus. Obviamente, não há nada de errado em pedir a Deus o que necessitamos—ou o que achamos que necessitamos. Jesus ensinou Seus discípulos a pedirem (Mt 7:7). Deus pode pensar que não precisamos do que estamos pedindo—nesse caso, Ele pode dizer: “Não” (2 Co 12:7–9). Ele pode simplesmente dizer: “Tenha paciência”. Precisamos aceitar a resposta dEle, seja ela qual for. Sl 27:14 diz: “Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor”.
Devemos agradecer a Deus não só pelo que Ele já nos deu, mas também pelo que Ele prometeu nos dar. Podemos ser gratos pela morada que Ele prometeu nos preparar (Jo 14:2,3). Somos instruídos a ser gratos por todas as coisas: “Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Ts 5:18).

3) PENSE NAS POSSIBILIDADES

É melhor direcionar-se para a solução do que para o problema. Passamos mais tempo falando de problemas do que de soluções. Os jornais teriam poucas matérias para imprimir, se eles só publicassem soluções para problemas. As reuniões de negócios e administrações seriam breves, se  não falassem de problemas. É comum conversar sobre um problema por meia hora e depois  partir para o próximo “problema”, sem ao menos ponderar possíveis soluções. Isto nos diz muito sobre nosso modo de pensar. Pensamos nos problemas, nos obstáculos e nas derrotas. As pessoas precisam ouvir possibilidades, analisar soluções e visionar vitórias.
Deus quer que antecipemos a vitória, 1 Co 15:57. Ele quer que empreguemos o Seu poder, 2 Tm 1:7. Ele quer que não andemos ansiosos por  coisa alguma, Fl 4:6. Ele quer que  tenhamos bons pensamentos, Fl 4:8. Ele quer que sejamos fortes e corajosos para que “afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não  temerei; que me poderá  fazer  o homem?”  (Hb 13:6). Davi disse: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?” (Salmos 27:1).
Um  cristão  que  pensa  positivamente  é  alguém que confia em Deus o bastante para crer que Ele providenciará soluções para os seus problemas. Quando confiamos em Deus e agradecemos a Ele pelas bênçãos, estamos pensando e agindo positivamente.

CONCLUSÃO: Não fique sentado, parado, nem de braços cruzados! Faça alguma coisa no nome do Senhor. Você poderia começar lendo os Salmos 23 ou 27. O Salmo 23 é o estimado salmo de Davi que começa com as palavras: “O Senhor  é o meu pastor, nada me  faltará”. O Salmo 27 diz: “O Senhor é a minha  luz e a minha  salvação; de quem  terei medo?” Esse  trechos bíblicos podem nos oferecer o encorajamento que  precisamos  para  enfrentar  as  aflições.  Paulo disse:  “Até  à minha  chegada,  aplica-te  à  leitura,  à exortação, ao ensino…. Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o  teu progresso a  todos seja manifesto” (1 Timóteo 4:13–15).
Postar um comentário