quarta-feira, 9 de abril de 2008

BATALHAS ENFRENTADAS POR DAVI ANTES DE ASSUMIR O TRONO

DAVI - UM GUERREIRO VENCEDOR

Atos 13:21-23

Introdução: Todo aquele que se dispõe a fazer a vontade de Deus haverá de atrair oposição.  Essa oposição, na verdade, é oriunda do grande inimigo de Deus – Satanás. No entanto, para que ele a execute, usará pessoas que estão descomprometidas com o verdadeiro propósito divino. Essas pessoas estarão, conscientes ou não, tentando destruir o que Deus está a construir. A Bíblia afirma que “todos aqueles que querem viver piamente em Cristo haverão de padecer perseguições”.

Transição: Davi, filho de Jessé, foi escolhido por Deus para um propósito diferenciado – ser o rei de Israel, que era a nação estabelecida por Deus para ser sua testemunha na terra. Hoje, a Igreja é a testemunha de Deus diante do mundo. Davi sempre foi disposto a trabalhar e assumir desafios, inclusive consta em seu histórico a façanha de matar um leão e um urso, a fim de defender o rebanho de ovelhas de seu pai. Por fim o próprio Deus o chamou de homem segundo o seu coração e de sua linhagem saiu o maior de todos os reis – Jesus, Rei dos reis. Mas sua vida não foi nada fácil, vejamos o que ele precisou enfrentar para que o propósito de Deus se concretizasse em sua vida:

I – ENFRENTOU OPOSIÇÃO FAMILIAR
Quando Samuel se dirigiu à casa de Jessé para ungir um de seus filhos, parece que Davi era o menos indicado pela família: “Assim, fez passar Jessé os seus sete filhos diante de Samuel; porém Samuel disse a Jessé: O SENHOR não escolheu estes. Perguntou Samuel a Jessé: Acabaram-se os teus filhos? Ele respondeu: Ainda falta o mais moço, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda chamá-lo, pois não nos assentaremos à mesa sem que ele venha. Então, mandou chamá-lo e fê-lo entrar. Era ele ruivo, de belos olhos e boa aparência. Disse o SENHOR: Levanta-te e unge-o, pois este é ele” (1 Samuel 16:10-12 RA).
O povo de Israel tinha, dentre muitos inimigos, os cruéis filisteus. Estes resolveram atacar e o exército de Saul estava no campo de batalha a fim de defender seu território. Jesse enviou Davi ao acampamento onde o exército se encontrava para levar comida para seus filhos que lá estava, 1 Sm 17:17-18.
Davi foi mal recebido pelo irmão mais velho, Eliabe, que pelo que entendemos nas suas palavras havia uma rivalidade: “Ouvindo-o Eliabe, seu irmão mais velho, falar àqueles homens, acendeu-se-lhe a ira contra Davi, e disse: Por que desceste aqui? E a quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção e a tua maldade; desceste apenas para ver a peleja” (1 Samuel 17:28 RA).
Pelo que Jesus afirmou precisamos ter muita compreensão quanto as pessoas da família que se opõe um ao outro a fim de não se tornarem inimigos, pois se assim for serão os piores: “E assim os piores inimigos de uma pessoa serão os seus próprios parentes” (Mateus 10:36 NTLH).

II – ENFRENTOU O ABUSADO GOLIAS
Os filisteus estavam irados contra Israel e desafiava: “Então, saiu do arraial dos filisteus um homem guerreiro, cujo nome era Golias, de Gate, da altura de seis côvados e um palmo; Disse mais o filisteu: Hoje, afronto as tropas de Israel. Dai-me um homem, para que ambos pelejemos” (1 Samuel 17:4 e 10 RA).
Davi vendo que havia uma humilhação ao seu povo e que ninguém ousava enfrentar o gigante, ele se apresentou a Saul e se dispôs a enfrentá-lo. Isto causou admiração em Saul que via muita impossibilidade e achava muita pretensão de Davi, I Sm 17:33.
Diante da insistência de Davi, Saul o permitiu, 1 Sm 17:34-37. Ele foi ao gigante com sua funda e cinco pedras roliças que tirara do ribeiro, 1 Sm 17:40. Golias zombava dele: “Olhando o filisteu e vendo a Davi, o desprezou, porquanto era moço ruivo e de boa aparência. Disse o filisteu a Davi: Sou eu algum cão, para vires a mim com paus? E, pelos seus deuses, amaldiçoou o filisteu a Davi. Disse mais o filisteu a Davi: Vem a mim, e darei a tua carne às aves do céu e às bestas-feras do campo” (1 Samuel 17:42-44 RA).
Davi, porém, confiando em Deus, enfrentou o gigante com muita ousadia: “Davi, porém, disse ao filisteu: Tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudo; eu, porém, vou contra ti em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado. Hoje mesmo, o SENHOR te entregará nas minhas mãos; ferir-te-ei, tirar-te-ei a cabeça e os cadáveres do arraial dos filisteus darei, hoje mesmo, às aves dos céus e às bestas-feras da terra; e toda a terra saberá que há Deus em Israel.  Saberá toda esta multidão que o SENHOR salva, não com espada, nem com lança; porque do SENHOR é a guerra, e ele vos entregará nas nossas mãos” (1 Samuel 17:45-47 RA).
Deus honrou Davi diante do gigante: “Sucedeu que, dispondo-se o filisteu a encontrar-se com Davi, este se apressou e, deixando as suas fileiras, correu de encontro ao filisteu. Davi meteu a mão no alforje, e tomou dali uma pedra, e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa; a pedra encravou-se-lhe na testa, e ele caiu com o rosto em terra.  Assim, prevaleceu Davi contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e o feriu, e o matou; porém não havia espada na mão de Davi.  Pelo que correu Davi, e, lançando-se sobre o filisteu, tomou-lhe a espada, e desembainhou-a, e o matou, cortando-lhe com ela a cabeça. Vendo os filisteus que era morto o seu herói, fugiram” (1 Samuel 17:48-51 RA).
Deus promete ajudar e abençoar aqueles que são fiéis a Ele: “O SENHOR fará que sejam derrotados na tua presença os inimigos que se levantarem contra ti; por um caminho, sairão contra ti, mas, por sete caminhos, fugirão da tua presença” (Deuteronômio 28:7 RA).

III – ENFRENTOU A OPOSIÇÃO DE SAUL
Quando Davi venceu Golias houve muita celebração por parte principalmente das mulheres que sentiam que a coisa estava feia, mas diante da disposição de Davi houve bonança: “As mulheres se alegravam e, cantando alternadamente, diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus dez milhares” (1 Samuel 18:7 RA).
Esta cantiga acabou criando um ciúme em Saul, que ficou indignado: “Então, Saul se indignou muito, pois estas palavras lhe desagradaram em extremo; e disse: Dez milhares deram elas a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão o reino?” (1 Samuel 18:8 RA).
Estava declarada a nova batalha na vida de Davi: “Daquele dia em diante, Saul não via a Davi com bons olhos” (1 Samuel 18:9 RA).
A primeira tentativa de Saul contra Davi: “No dia seguinte, um espírito maligno, da parte de Deus, se apossou de Saul, que teve uma crise de raiva em casa; e Davi, como nos outros dias, dedilhava a harpa; Saul, porém, trazia na mão uma lança, que arrojou, dizendo: Encravarei a Davi na parede. Porém Davi se desviou dele por duas vezes” (1 Samuel 18:10-11 RA).
Visando a morte de Davi por mão de inimigos, tirou-o do palácio e o colocou como chefe de mil, mas ele, com a ajuda de Deus, ia vencendo todas as batalhas: “Pelo que Saul o afastou de si e o pôs por chefe de mil; ele fazia saídas e entradas militares diante do povo. Davi lograva bom êxito em todos os seus empreendimentos, pois o SENHOR era com ele” (1 Samuel 18:13-14 RA).
Saul quis armar outra cilada para Davi dando-lhe sua filha Mical em vez de outra: “Mas Mical, a outra filha de Saul, amava a Davi. Contaram-no a Saul, e isso lhe agradou. Disse Saul: Eu lha darei, para que ela lhe sirva de laço e para que a mão dos filisteus venha a ser contra ele. Pelo que Saul disse a Davi: Com esta segunda serás, hoje, meu genro” (1 Samuel 18:20-21 RA).
Outra cilada armada para Davi – trazer cem prepúcios de filisteus, mais uma vez Deus lhe abençoa e traz duzentos e Mical estava apaixonadíssima: “Então, disse Saul: Assim direis a Davi: O rei não deseja dote algum, mas cem prepúcios de filisteus, para tomar vingança dos inimigos do rei. Porquanto Saul tentava fazer cair a Davi pelas mãos dos filisteus. Tendo os servos de Saul referido estas palavras a Davi, agradou-se este de que viesse a ser genro do rei. Antes de vencido o prazo, dispôs-se Davi e partiu com os seus homens, e feriram dentre os filisteus duzentos homens; trouxe os seus prepúcios e os entregou todos ao rei, para que lhe fosse genro. Então, Saul lhe deu por mulher a sua filha Mical. Viu Saul e reconheceu que o SENHOR era com Davi; e Mical, filha de Saul, o amava” (1 Samuel 18:25-28 RA).
Outras tentativas de Saul matar-lhe: “Procurou Saul encravar a Davi na parede, porém ele se desviou do seu golpe, indo a lança ferir a parede; então, fugiu Davi e escapou.” (1 Samuel 19:10 RA). “Então, Saul mandou mensageiros que vissem Davi, ordenando-lhes: Trazei-mo mesmo na cama, para que o mate” (1 Samuel 19:15 RA).
Não tinha jeito de acabar com o propósito de Deus. Certa feita, Davi estava cercado por Saul e seu exército, mas Deus providenciou até um ataque filisteu e Saul então, precisou desistir de Davi naquele dia e ele escapou novamente: “Então, veio um mensageiro a Saul, dizendo: Apressa-te e vem, porque os filisteus invadiram a terra. Pelo que Saul desistiu de perseguir a Davi e se foi contra os filisteus. Por esta razão, aquele lugar se chamou Pedra de Escape” (1 Samuel 23:27-28 RA).
Davi teve chance de eliminar seu arqui inimigo, mas não o fez: “Então, os homens de Davi lhe disseram: Hoje é o dia do qual o SENHOR te disse: Eis que te entrego nas mãos o teu inimigo, e far-lhe-ás o que bem te parecer. Levantou-se Davi e, furtivamente, cortou a orla do manto de Saul.  Sucedeu, porém, que, depois, sentiu Davi bater-lhe o coração, por ter cortado a orla do manto de Saul;  e disse aos seus homens: O SENHOR me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, isto é, que eu estenda a mão contra ele, pois é o ungido do SENHOR” (1 Samuel 24:4-6 RA).
Até o inimigo Saul reconheceu sua superioridade: “Tendo Davi acabado de falar a Saul todas estas palavras, disse Saul: É isto a tua voz, meu filho Davi? E chorou Saul em voz alta. Disse a Davi: Mais justo és do que eu; pois tu me recompensaste com bem, e eu te paguei com mal. Mostraste, hoje, que me fizeste bem; pois o SENHOR me havia posto em tuas mãos, e tu me não mataste. Porque quem há que, encontrando o inimigo, o deixa ir por bom caminho? O SENHOR, pois, te pague com bem, pelo que, hoje, me fizeste” (1 Samuel 24:16-19 RA). Isto não quer dizer que Saul se tornou seu amigo. A peleja continuou.
O triste fim de Saul: “Então, disse Saul ao seu escudeiro: Arranca a tua espada e atravessa-me com ela, para que, porventura, não venham estes incircuncisos, e me traspassem, e escarneçam de mim. Porém o seu escudeiro não o quis, porque temia muito; então, Saul tomou da espada e se lançou sobre ela. Vendo, pois, o seu escudeiro que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada e morreu com ele. Morreu, pois, Saul, e seus três filhos, e o seu escudeiro, e também todos os seus homens foram mortos naquele dia com ele” (1 Samuel 31:4-6 RA).
Em tudo isso vemos que Deus não desamparou Davi e este se tornou o grande rei de Israel: “Então, vieram os homens de Judá e ungiram ali Davi rei sobre a casa de Judá. E informaram Davi de que os homens de Jabes-Gileade foram os que sepultaram Saul” (2 Samuel 2:4 RA).

Conclusão: Guarde no seu coração as palavras de Jesus: “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.  Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós” (Mateus 5:10-12 RA). A derrota e a vitória vão depender da nossa disposição e persistência; a pior derrota e a de quem desanima. “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor” (1 Coríntios 15:58 RC).
Pr. Wanderley da Silva
Culto de Celebração e Santa Ceia em 21/10/07
Postar um comentário