sexta-feira, 15 de junho de 2012

Maldições quebradas pela concordância com Deus


Uma Vida de Concordância com Deus
Amós 3:3/Gênesis 5:24 

INTRODUÇÃO: Todos desejam andar com Deus. Como andar efetivamente com Ele? Para se andar com Deus é preciso estar de acordo com Ele: dizendo o que Ele diz, sendo o que Ele quer e fazendo o que Ele ordena. Observe Números 23:19, 20 – “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele dito, não o fará? ou, havendo falado, não o cumprirá? Eis que recebi mandado de abençoar; pois ele tem abençoado, e eu não o posso revogar”- temos que ter essa consciência, então será fácil concordar com Ele. Concordância com Deus é sinônimo de fé: “Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte; e não foi achado, porque Deus o trasladara; pois antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus. Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam” (Hb 11:5,6). 

TRANSIÇÃO: Amós 3:3 fala da dificuldade que há se não houver acordo, assim como não é provável que dois homens se encontrem num deserto sem caminhos. Caso estejam andando juntos, pode-se concluir com segurança que assim está acontecendo por terem feito essa combinação. Gênesis 5:24 fala-nos de um homem chamado Enoque que andou com Deus em perfeito acordo com Deus e por isso foi arrebatado, tornando-se assim um exemplo para a igreja que será arrebatada – por viver de acordo com Deus: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” (Mt 7:21). “Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre” (I Jo 2:17). 

1. SOMOS O QUE DEUS DIZ QUE SOMOS
O Diabo tenta nos convencer de que somos maus, somos um fracasso, somos covardes, maus cristãos: “Agora é chegada a salvação, e o poder, e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo; porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite” (Ap 12:10).
Deus diz que somos seus filhos: “e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso” (2 Co 6:18). Este é um privilégio que devemos reconhecer: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele” (1 Jo 3:1).
Deus diz que somos novas criaturas: “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Co 5:17). · Deus diz que somos mais que vencedores: “Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou” (Rm 8:37).
Se Deus nos justifica, ousará alguém nos acusar se somos os eleitos de Deus? E ainda, se o próprio Cristo morreu pelos fiéis, ressurgiu por eles, e agora, à direita de Deus, é o seu constante Advogado, haverá força que possa partir os laços de amor que prendem o Salvador aos salvos? Não pode haver acusação contra eles, nem pode haver dissolução dos laços redentores – sou o que Deus diz que sou.
Use a sua boca para discordar do Diabo e concordar com o Deus, todo-poderoso. 

2. TEMOS O QUE DEUS DIZ QUE TEMOS
O Diabo tenta nos convencer que não somos nada, que nosso nome não vale nada, que somos fracos, que não temos autoridade. · Deus diz que eu tenho o seu nome: “E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas...” (Mc 16:17).
Deus diz que eu tenho a sua natureza: “E porei em vós o meu espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra, e sabereis que eu, o Senhor, disse isto, e o fiz, diz o Senhor” (Ez 37:14). “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa” (Ef 1:13).
Deus diz que eu tenho poder: “Porque Deus não nos deu o espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” (2 Tm 1:7). Este termo “poder” significa ser competente, forte e poderoso; ser apto para fazer alguma coisa; poder moral e excelência de alma. Veja a declaração de Jesus em João 10:10 – “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. O termo abundância expressa algo que excede algum número, medida, posição ou necessidade.
Deus diz que eu tenho vitória: “Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo, e por meio de nós difunde em todo lugar o cheiro do seu conhecimento” (2 Co 2:14). A expressão “conduz em triunfo” traz a mente do apóstolo o costume antigo de conduzir em marcha triunfal os adversários vencidos. Assim, alegra-se ele por ser o crente "conduzido em triunfo" por Cristo.
Devemos tomar posse de tudo isso, tal como Josué e Calebe, devemos tomar posse das bênçãos de Deus – pela fé. 

3. PODEMOS O QUE DEUS DIZ QUE PODEMOS
Temos capacidade espiritual para fazer o que Deus diz em sua Palavra: “Porque a palavra de Deus é [viva e eficaz], e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4:12). 
Temos condições de dar testemunho com poder: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra” (At 1:8).
Temos condições de expulsar os espíritos malignos: “E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios” (Mc 16:17).
Podemos transmitir cura ao doente: “E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados” (Mc 16:18).
Veja a lista de nossas possibilidades dada por Jesus: “Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai os leprosos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça daí” (Mt 10:8). 

CONCLUSÃO: Devemos evitar o grande erro de agir conforme o que diz nosso sentido, a ciência, o Diabo, ou as pessoas pessimistas e incrédulas. Temos que discordar do Diabo e concordarmos com Deus, veja o que Paulo declarou: “Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8:31).
Postar um comentário