sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Os anões do ministério Branca de Neve

Era uma vez uma linda comunidade. O líder estava ali há muitos anos e tudo parecia tranquilo. Porém, havia alguns anões que, ao contrário da historinha infantil, perturbavam a vida do pastor. Infelizmente, eles existem em diversas igrejas, independente da denominação ou da localidade. Como os homônimos pequenos seres do orçamento corroem a paz e perturbam o desenvolvimento da congregação.
Confira se sua igreja possui exemplares dessa espécie miúda. Eles podem aparecer tanto na versão masculina como na feminina. Cuidado com eles, pois no mundo real, eles contem mais veneno do que a maçã da bruxa. Certifique-se de que no lugar em que você foi plantado realmente "não vale encantamento", especialmente dos anões venenosos.

SONECA - tipo dos mais comuns, reproduz-se com facilidade. Basta ficar muito tempo próximo dele e logo você começa a bocejar. Frequenta as reuniões desde que não sejam longas e que não aconteçam próximas a feriados ou datas especiais (incluindo o dia do telegrafista, da árvore, do índio). Honrando o nome, cochila na hora da mensagem, geralmente após do décimo minuto.

ZANGADO - muitas vezes ocupa uma posição eminente na igreja. Detesta novos projetos e é contrário a quaisquer inovações, inclusive quando propostas pelo pastor. Sempre de cara fechada, reclama do barulho da mocidade, dos bebes que choram durante os cultos, da conta telefônica, das roupas das mulheres no verão. A parte que mais detesta nos cultos é quando o pregador diz: "sorria para o irmão que está ao seu lado".

FELIZ - bem humorado, pode ser encontrado sempre próximo ao líder. Antes do pastor espirrar, já grita "saúde" bem alto, para toda igreja ouvir como ele é solícito, e corre para oferecer seu suprimento de remédios "para o meu pastor favorito". É geralmente conhecido por outra expressão bastante popular. Sua devoção se prende aos cargos, e não às pessoas. Basta trocar de pastor que, na primeira semana, já está novamente apaixonado.

ATCHIM - sempre tem uma desculpa para não participar das atividades dos departamentos da igreja. Gripes e resfriados são as justificativas mais comuns. Vive procurando oportunidades para chamar a atenção sobre si, mesmo que não seja preciso espirrar para tentar conseguir afeto. Tem problemas de ordens variadas, de calor a dor de cotovelo, sendo sempre o primeiro a pedir oração.

MESTRE - ao contrário do que a alcunha sugere, é mestre apenas na arte de criar confusões. No local em que trabalha, mantem-se discreto. Na igreja, extravasa toda sua inclinação para pompa dos cargos. Candidata-se a qualquer posição de destaque, mesmo que seja a de "chefe do mutirão de limpeza". Fica com êxtase quando vê o seu nome no boletim. Quando ora em público, aproveita para exaltar suas inúmeras qualidades.

DUNGA - caracteriza-se pelas enormes orelhas, o que não explica a constante inclinação para ouvir fofocas. Como a língua acompanha o padrão big, compartilha rapidamente o segredo que ouviu, "para pedir oração" em favor dos envolvidos. É o mais rápido meio de comunicação que a igreja possui, especialmente se a notícia for "quente' e envolver alguém da liderança. No desenho animado era meio desastrado. Para a congregação é um desastre total.

DENGOSO - tem um sério problema de carência afetiva e não se julga aceito pelo grupo. Cada vez que sofre uma reprimenda, sai pelos corredores contando pela milésima vez o quanto é infeliz. "Deve ser alguma maldição ou trabalho que fizeram", diz, sempre procurando responsabilizar alguém pelas suas próprias faltas. Julga-se preterido, sem oportunidade e rejeitado. Insiste tanto em dizer isso, que acaba se tornando o que a sua boca apregoa.

Identificou quantos anões existem na sua igreja? Não deixe de recomendar a toda a congregação a leitura de bons livros, especialmente aqueles que abordam a área psicológica. Felizmente, essas espécies podem virar o jogo, pois tem a chance de crescer. Só assim será possível ter sempre um final feliz.

Revista Vidamix, idos de 90.
Postar um comentário