segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

ABAIXO AS MALDIÇÕES DA SUA VIDA


LIVRANDO-SE DAS MALDIÇÕES
João 10:10

Maldição é um infortúnio lançado contra alguma pessoa, alguma coisa ou algum lugar, usando palavras, rituais ou oferendas. O propósito de uma maldição é bloquear, limitar ou anular o bem-estar de uma pessoa, empresa ou sociedade.
Ela pode ser: consciente – quando eu tomo conhecimento de que alguém a lançou; ou inconsciente – quando não sabemos que foi feito.
Maldição é também resultado de ações pessoais contrárias à vontade de Deus, independente da falta de conhecimento. Exemplo: se alguém sem conhecimento de uma lei natural a violar vai sofrer as conseqüências (Gl 6:7).
Uma lei espiritual quebrada trará conseqüências terríveis. Exemplo: “a alma que pecar, essa morrerá” (Ez 18:4).
A Palavra declara que a maldição sem causa não encontra pouso, isto é, depende de uma legalidade por parte do seu alvo (Pv 26:2).
Por outro lado, o salmista declara que se alguém amar a maldição será apanhado por ela; se rejeitar a bênção, esta fugirá da pessoa (Sl 109:17).
As maldições só podem ser quebradas mediante a obediência aos princípios bíblicos estabelecidos por Deus.

I – Precisamos reconhecer o problema

Jesus disse ao seu povo “e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8:32). O povo julgou que este era um discurso fora de ordem, pois eles não eram escravos de ninguém. Mas Jesus lhes assegurou que “àqueles ou àquilo a que servimos, por conseqüência somos escravos”. Jesus então lhes declarou que só o Filho de Deus pode dar a verdadeira liberdade, Jo 8:36.
- Enfermidade - uma mulher sofria um problema na coluna que a mantinha encurvada. Jesus libertou a mulher e, ao ser criticado por ser sábado, revelou a origem do mal – Satanás a havia mantido presa por dezoito anos (Lc 13:16).
- Miséria financeira - em Malaquias 3:8-10 fala que o povo estava sendo alvo de maldição, e o motivo era a negligência nos dízimos e ofertas. O próprio Senhor estava dizendo que o povo estava roubando a Deus. No entanto, eles foram desafiados a acertar as contas com o tesouro da Casa do Senhor e passasse a fazer prova, pois Deus abriria sobre eles o seu rico tesouro. Se eles fossem fiéis o devorador seria expulso de suas vidas.
- Perturbação - Um homem que ficou conhecido como o endemoninhado gadareno era violento, anti-social, vivia fora do comportamento natural, pois vivia nos sepulcros. Quando Jesus expulsou a legião que o aprisionava ele se tornou um missionário (Lc 8:26-40).
- Sentimentos – a mágoa é a arapuca de Satanás, pois nos mantém limitados e presos a sentimentos negativos: Veja o que Jesus afirmou:
1.     Devemos perdoar não só sete vezes no dia, mas setenta vezes sete (Mt 18:21-22). Isto implica não em fórmula matemática, mas na disponibilidade perfeita de não deixar nada pendente a fim de alimentar demônios;
2.     Ao ofertar, precisamos acertar as relações que estão rompidas (Mt 5:23-25). Todos sabemos que as contribuições financeiras na igreja resultam em bênçãos de prosperidade, portanto, para que não haja nada que embarace nossa bênção é preciso que estejamos sem legalidades para Satanás;
3.     Quem não perdoa, não será perdoado (Mc 11:26). É uma questão coerente – quem não pratica o perdão, não tem o direito de pedir.
Detecte o problema e rejeite-o em suas vidas.

II – Precisamos liberar a palavra de ordem contra o valente

Se creres em seu coração e com sua boca haver confissão haverá salvação (Rm 10:9).
É necessário que tenhamos coragem e disposição para através da fé e da palavra darmos ordem e anularmos o poder do inimigo naquilo em que ele nos ataca. Exemplo: “Satanás, eu te ordeno pelo poder do sangue de Jesus, saia da minha vida, da minha família, das minhas finanças, etc.
Cri, por isso falei; cremos, portanto falamos também. Creia que as maldições existem e que precisam ser anuladas pelo poder de Jesus. E, Ele disse: “em meu nome expulsarão os demônios, etc.” (Mc 16:17).
Se tiveres fé como um grão de mostarda, direis a este monte vá para acolá e assim será. Tem muita gente cheia de fé que vive conformada à vida limitada pelas maldições, simplesmente pelo fato de não darem ordem ao monte que está lhe incomodando, (Mt 17:20).

III – Precisamos fechar as portas e janelas da alma

Paulo disse: "Não se ponha o sol sobre a vossa ira". Isto é uma advertência contra qualquer irritação que suscite ódio, ou desejo de vingança (Rm 12.19).
Qualquer sentimento negativo guardado de um dia para o outro, transforma-se em um campo arado e fertilizado para o Diabo semear sua erva daninha (Sl 37:8). Precisamos aprender a nos dominar (Pv 16:32). Aquele que permite que sua alma fique presa por um sentimento negativo, estará sujeito às terríveis conseqüências.
Se não tratarmos devidamente nossas mágoas ou amarguras, ela abrirá uma fenda enorme, pela qual, Satanás entrará em nossa vida e nos destruirá totalmente.
Se a mágoa é a gaiola de Satanás. Vai querer ficar preso? Creio que não.

Conclusão: Diante de nós Deus colocou duas coisas a vida e a morte; a bênção e a maldição. Escolha a vida para que viva tu e teus filhos. Jesus afirmou que há dois planos para cada um de nós: o plano satânico: roubar, matar e destruir; o plano divino – vida abundante.
Postar um comentário