segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Destruindo-se de dentro para fora


Vencendo a raiz de amargura

“Tendo cuidado de que ninguém se prive da Graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem” (Hb 12:15).


Muitas pessoas estão sendo contaminadas através de uma coisa que não é palpável e nem ingerido pelas vias respiratórias, e também nem pelas vias digestivas, mas pelo coração, e estão sendo consumidas interiormente através de muitas moléstias que provém da falta de perdão, e a raiz de amargura que se aloja no mais profundo interior da pessoa.

Existe o inimigo de nossas almas que está ao nosso derredor, e atua intensamente 24 horas por dia, não dá sossego e com isto tem tirado o sono de muitos. Ele age na nossa mente, usa pessoas para desestimular a fé e gerando contendas entre irmãos, amigos, parentes, etc.

Em conversas com várias pessoas, este inimigo tem conseguido com êxito esta façanha, tem destruído amizades e muitos lares através da raiz de amargura. Jogando uns contra os outros. A pergunta é, será que este inimigo tem poder de atuar na vida de um cristão?

Sim, ele pode! Mas Deus é fiel na sua Palavra. E o diabo sabendo disto, aproveita o momento de fragilidade da pessoa para atuar.

A Palavra de Deus declara que se nós não perdoarmos aqueles que nos tem ofendido, também ELe não nos perdoará pela nossas ofensas, Mt 6:14-15.

Se você não perdoar aqueles que te ofendem, você está dando brecha para o diabo agir em sua vida e não adianta nada clamar ao Senhor, pois isto é permissão de Deus para que lembres de que Deus perdoa os nossos pecados contanto que também perdoamos aqueles que nos ofendem.

Podemos Ler também na Bíblia que Jesus conta uma parábola de um Rei:

“Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos. E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Então o Senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida.
Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Pague-me o que me deves. Então o seu companheiro, prostrando-se aos seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.
Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas” (Mt 18:23-35).

O Pai Celestial deixará nas mãos do inimigo de nossas almas aqueles que não perdoam.

E a falta de perdão gera uma Raiz de amargura no nosso coração e com isto, gerando enfermidades e nos transformado em pessoas amarguradas.

Que você e eu possamos amar as pessoas como elas são, sempre perdoando e que “Sigamos a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12:14).

Postar um comentário