sábado, 19 de maio de 2012

Perigo: Mascarado é Desmascarado


         Usar máscaras pode nos livrar de censuras, mas não é uma atitude segura. Não podemos afivelar com segurança as máscaras o tempo todo. Nem sempre as máscaras ficam bem ajustadas. Elas podem cair e cair nas horas mais inapropriadas. Quando a máscara de Eliabe caiu, todos conheceram que ele era mesquinho, invejoso e covarde.
         Um advogado acabara de concluir o seu curso de direito. Recém-formado, com muitos sonhos e planos, queria logo construir um futuro glorioso. Abriu logo o seu escritório. Equipou-o com rico e moderno mobiliário. Trajava-se impecavelmente com ternos bem cortados e engomados. Seu sapato de cromo alemão vivia rigoramente engraxado. Suas gravatas eram todas de seda, combinando com a tonalidade do terno. A cada manhã, se levantava e fazia seu percurso até o escritório, sempre carregando uma bela e requintada pasta cheia de papéis. Aquele advogado tinha uma aparência irretocável. Seu escritório era moderno e bem decorado. Sua apresentação pessoal era exemplar. Ele só tinha um problema: ainda não tinha nenhum cliente. Certo dia, a campainha do escritório tocou e entrou um cidadão. O advogado pensou: está aqui o meu primeiro cliente. Para impressioná-lo, foi logo pegando o telefone e entabulando uma animada conversa, dando a impressão que estava fechando um grande negócio com um famoso cliente, envolvendo muito dinheiro. Após a longa e animada conversa, o advogado colocou o telefone no gacho e voltou-se para o cidadão que estava postado à sua frente, dizendo-lhe: “Desculpe-me a demora. Estava tratando de um importante negócio. Estou agora à sua disposição.” O homem, olhando-o profundamente, disse-lhe: “Eu sou funcionário da companhia telefônica e eu só vim aqui para ligar o seu telefone, porque ele ainda está desligado”. As máscaras podem cair nas horas mais inoportunas e incovenientes.
         A Bíblia diz: “O teu pecado o achará”. Ainda: “Louco é aquele que zomba do pecado”. E mais: “O homem será apanhando pelas próprias cordas do seu pecado”. Em outros termos: as máscaras vão cair.
Postar um comentário